Mãe acusa programa Bolsa Família de falsificar informação no Acre; marido aparece como idosa de 90 anos

0

Maria Ramaika Marinho de Souza, 30 anos, mãe de dois filhos, procurou a imprensa local para denunciar que está a sete meses sem receber o benefício do Programa Bolsa Familia. Ramaika diz que está desempregada e o esposo trabalha como assistente de pedreiro, quando tem serviço e a renda da família é pouca. “Esse dinheiro do bolsa família parece pouco pra quem tem muito, mas, pra quem tem nada é uma grande ajuda“, disse a mãe num tom de revolta.

Tudo começo a sete meses quando o benefício foi bloqueado. “Não culpo os servidores da Secretaria de Assistência Social, pois sei que não foram eles que causaram o problema. Só quero que o problema do tal sistema seja solucionado e eu volte a receber o benefício dos meus filhos“, destacou.

Ramaika disse que foi até a secretaria para saber o que aconteceu para que seu benefício fosse bloqueado. “Fui lá e os servidores viram lá no meu cadastro que tinha uma velhinha Dona Benedita Cruz leite, de 90 anos, que seria meu esposo (cônjuge). Meu esposo é assistente de pedreiro. Sem contar que falaram pra mim que a culpa é da caixa econômica. Fui na caixa econômica e o rapaz de lá me disse que o único dever que eles têm é de pagar os benefícios, Olha já baixei até o aplicativo do bolsa família no meu celular todo santo dia vejo se já desbloquearam, mas, nada acontece. Até o aplicativo pede pra mim ir procurar o gestor. Explicações eu já tenho muitas. O que eu quero é que alguém resolva o problema“, desabafou.

Taynisson do Ó, responsável pelo programa na Secretaria Municipal de Assistência Social disse que em relação a essa situação é um problema que vem acontecendo bastante e que o sistema para tentar evitar fraudes finda sendo bastante rigoroso. “Nós já explicamos a ela que a culpa não é nossa e que infelizmente está causando esse prejuízo. Como nosso sistema é on line, estavam ocorrendo muitas fraudes, hackers de internet estavam conseguindo ter acesso ao CAD UNICO e colocavam pessoas que não existiam em cadastro de outras pessoas para poderem desviar esse dinheiro que era destinado ao beneficiário. Quando o sistema suspeitava de fraude, automaticamente cancelava. No caso da Ramaika já fizemos a atualização dela e excluímos a velinha. foram vários casos assim que aconteceram. Achamos que a partir do dia 30 com as mudanças do CAD UNUCO isso será resolvido” explicou Taynisson.

Com informações de Portal Tarauacá

Comentários

comentários