Jovem é encontrado morto dentro de casa no interior do Acre; polícia suspeita de suicídio

Diego seria alcoólatra e dias atrás teria avisado aos vizinhos que iria tirar a própria vida. Um inquérito policial foi aberto, para que o caso seja devidamente investigado.

0
Corpo do jovem foi levado ao IML/FOTO: Folha do Acre

Um jovem identificado como Diego Cássio da Silva, 22 anos, foi encontrado morto na manhã desta terça-feira (19) dentro de uma casa localizada no Ramal do Ouro, na altura do Km 38 da BR-364, no trecho Rio Branco/Sena Madureira. Devido as circunstâncias de como o corpo foi encontrado, a polícia suspeita que Silva tenha cometido suicídio, (ato intencional de matar a si mesmo). Atitude muitas vezes relacionada a depressão.

Foram os vizinhos que acionaram os agentes de Polícia Civil do município de Sena Madureira. Uma equipe do Instituto Médico Legal (IML), foi deslocada de Rio Branco para recolher o cadáver que foi levado à sede da instituição, onde foi submetido aos devidos procedimentos. As taxas de suicídio dos jovens brasileiros subiu mais de 30% nos últimos 10 anos, e os números apontam um crescimento preocupante desses casos no Acre.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o suicídio é um problema de saúde pública em países de alta renda e um problema emergente em países de baixa e média renda. É uma das principais causas de morte no mundo, especialmente entre os jovens. Mais de 800 mil pessoas morrem por suicídio no mundo a cada ano. Isso corresponde a uma morte a cada 40 segundos. O número supera inclusive, os homicídios e guerras.

PREVENÇÃO

Diversos fatores podem impedir a detecção precoce e, consequentemente, a prevenção do suicídio. O estigma e o tabu relacionados ao assunto são aspectos importantes. Durante séculos, por razões religiosas, morais e culturais, o suicídio foi considerado um grande “pecado”, talvez o pior deles. Por esta razão, ainda existe o medo e a vergonha de se falar abertamente sobre esse problema com os amigos ou até mesmo com a família.

No Hospital de Urgência e Emergência (Huerb), existe uma equipe de profissionais que identifica os pacientes que dão entrada na unidade por tentativa ou indução ao suicídio. Internações e acompanhamento familiar fazem parte do atendimento. Durante este mês de setembro, ações e palestras são realizadas em unidades de saúde para conscientizar profissionais e a sociedade sobre o tema. O núcleo funciona 24 horas por dia.

“O suicídio atualmente é considerado uma epidemia silenciosa. É como se fosse invisível, ainda por questões de tabu. Qualquer ameaça ou tentativa de suicídio deve ser levada a sério. Se for ignorada, uma vida pode ser perdida”, afirma a psicóloga Andreia Vilas Boas, atual coordenadora do Núcleo de Prevenção ao Suicídio. Ela mesmo atende e faz o acompanhamento de vários pacientes, e diz estar preocupada com os altos números.

Comentários

comentários