Asmac repudia general do Exército que impediu entrada de juiz em presídio e caso será apurado pelo STF

0
Presidente da Asmac, Luiz Camolez

A Associação dos Magistrados do Estado do Acre (Asmac) divulgou nesta quarta-feira (12) nota de repúdio sobre atitude do general José Eduardo Leal de impedir que o juiz Hugo Torquato acompanhasse a operação no presídio Manoel Neri da Silva, em Cruzeiro do Sul.

“A desembargadora Denise Bonfim encaminhou para a ministra Carmem Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), solicitação de apuração dos fatos”, diz trecho da nota.

Confira a nota:

Nota de repúdio

A Associação dos Magistrados do Estado do Acre (Asmac) vem repudiar os atos cometidos pelo comandante da 17ª Brigada de Infantaria, o general José Eduardo Leal de Oliveira, ao impedir que o juiz da Vara de execução Penal Hugo Torquato acompanhasse a operação no presídio Manoel Neri da Silva, em Cruzeiro do Sul, declarando Estado de Sítio e afirmando que o magistrado estava afastado das funções.

A diretoria desta Associação, que representa todos os magistrados do Estado do Acre, informa que a presidente do Tribunal de Justiça, a desembargadora Denise Bonfim, encaminhou para a ministra Carmem Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) solicitação de apuração dos fatos.

A diretoria da Asmac presta todo apoio ao Dr. Hugo Torquato, vice-presidente desta entidade, esclarecendo à população que é competência do juiz das Varas das Execuções Penais a vistoria dos presídios Estaduais.

Luís Vitório Camolez
Presidente da Asmac
12 de julho de 2017

Comentários

comentários