Com mais de 120 famílias atingidas por temporal, cidade do Acre decreta estado de emergência

Decreto deve ser publicado no DOE nesta segunda-feira (9). Temporal atingiu cidade de Capixaba no sábado (7)

0
Morador olha para casa destruída após temporal em Capixaba — Foto: Reprodução

Com mais de 120 famílias atingidas pelo temporal deste sábado (7), a cidade de Capixaba, interior do Acre, decretou estado de emergência devido aos estragos. O vendaval derrubou árvores, casas, destelhou lojas, escolas, ginásios de esportes e outras instituições na cidade. Duas pessoas ficaram feridas e um cachorro morreu.

Três casas desabaram no momento do temporal. Uma delas foi a da aposentada Antônia Oliveira, de 65 anos, que quebrou a perna em três lugares e está internada no Pronto-Socorro de Rio Branco.

As Defesas Civis Estadual e Municipal avaliam as residências atingidas para saber quais podem ser interditadas.

Decreto

A coordenadora da Defesa Civil de Capixaba, Edna Guimarães, explicou ao G1 que a prefeitura do município determinou que fosse feito o decreto na tarde desta segunda-feira (9). A portaria da determinação deve ser publicada no Diário Oficial do Acre (DOE) nesta terça (10).

“Em torno de 120 famílias foram atingidas, temos 10 pessoas que estão em um abrigo. Temos casas que estão totalmente destruídas, foram ao chão. Tem bastante gente em casa de parentes e estamos dando todo apoio e assistência”, complementou.

Edna falou que foi montado um abrigo em um Centro de Referência da Assistência Social (Cras) da cidade. Ela revelou também que três escolas, entre elas uma de ensino infantil, foram atingidas pelo vendaval, mas apenas a de ensino infantil teve as aulas suspensas.

“Não tem aula essa semana. Foi destelhada. Áreas comerciais e prédios públicos também foram atingidos”, confirmou.

Avaliação

A coordenadora contou que uma equipe de 35 pessoas esteve em campo nesta segunda para avaliar os estragos e pegar os dados das famílias afetadas. Os bairros mais prejudicados foram Quixadá Amorim e Paraíso.

“Nossa equipe está em campo desde ontem fazendo o levantamento. Estou aguardando o engenheiro da prefeitura passar as informações a respeito do quantitativo de valores porque precisamos para colocar no decreto”, pontuou.

Edna disse que um engenheiro faz o levantamento de quantas casas têm risco de desabar após o temporal. A assistência social providencia o aluguel social para encaminhar as família desabrigadas.

“Visitamos algumas casas, fizemos avaliações com o pessoal da Defesa Civil Estadual e vimos que tem casa prestes a desabar. Tem pessoas com a casa em risco de desabar, mas não querem sair e conseguimos removê-las para o abrigo”, concluiu.

G1/AC

Comentários

comentários