24 julho 2024

Lula diz que quer concluir estrada que liga Acre ao Peru até o final do mandato

Redação Folha do Acre

Date:

Em visita oficial à Bolívia, nesta terça-feira (9/7), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que sem estabilidade política e jurídica não há desenvolvimento social e econômico. Em discurso durante fórum com empresários do Brasil e da Bolívia, em Santa Cruz de La Sierra, Lula disse que a tentativa de golpe sofrida há poucos dias pelo país vizinho demanda uma reflexão sobre a democracia.

“O setor produtivo tem plena consciência da importância do estado de direito para o bom funcionamento da economia”, disse. “Assim como a pobreza e as desigualdades estão na origem de instabilidades de toda ordem. Os empresários sabem que podem ser tão vítimas das arbitrariedades de um regime autoritário quanto os trabalhadores”, acrescentou.

Segundo Lula, ele e o presidente da Bolívia, Luis Arce, querem que as indústrias dos dois países se desenvolvam, para que não vendam apenas produtos primários. E destacou que a energia renovável é fundamental para a neoindustrialização e o Brasil e a Bolívia têm recursos energéticos e minerais abundantes.

“Investir em energia solar, eólica, hidrelétrica é imperativo da transição energética e uma grande oportunidade para criar empregos de qualidade para nossos jovens”, afirmou Lula, ao ressaltar o potencial brasileiro e boliviano de produzir energia limpa e de liderar a transição energética na região.

Ele afirmou que “não é preciso buscar uma caldeira ou um trator na China, quando há opções no âmbito do Mercosul”. E que o bloco deve se converter em plataforma para os mercados mundiais de minerais estratégicos e componentes de alta tecnologia. “Queremos agregar valor ao lítio e a outros minerais críticos aqui mesmo no coração da América do Sul (…) Como países amazônicos e membros da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA) devemos alicerçar nossa visão de desenvolvimento sustentável na bioeconomia e na biotecnologia (…) Brasil e Bolívia devem exportar sustentabilidade.”

“Até o final de meu mandato, quero concluir a principal, a rota rodoviária do Quadrante Rondon, que integra os estados do Acre, de Rondônia e do Mato Grosso, à Bolívia e ao Peru”, disse o presidente.

 

Últimas