20 junho 2024

Saúde alerta acreanos a se vacinarem para combater nova variante da Covid-19

Redação Folha do Acre

Date:

No enfrentamento das síndromes respiratórias e na proteção das crianças e adultos, a vacinação emerge como uma poderosa ferramenta de prevenção. No Acre, o governo do Estado, por meio da Secretaria de Saúde, destaca a importância da imunização contra duas doenças significativas: a covid-19 e a influenza.

A nova variante JN.1 do SARS-CoV-2 mantém sua circulação prevalente em diversos países, incluindo Índia, China e Estados Unidos, conforme relatório recente dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). Embora não haja evidências de que cause doenças graves, a variante já foi identificada no Brasil, inclusive em indivíduos sem histórico de viagem ao exterior e apresenta circulação no estado do Acre.

A cobertura vacinal no estado, entretanto, está abaixo do esperado, especialmente entre as crianças. Segundo a secretária adjunta de Atenção à Saúde da Sesacre, Ana Cristina Moraes, cerca de 70% das crianças não estão recebendo as vacinas necessárias.

“A falta de cobertura vacinal tem elevado a vulnerabilidade em relação às síndromes respiratórias. É de suma importância que pais e filhos completem o calendário vacinal, diante da rápida disseminação de síndromes respiratórias. Estamos tomando medidas para incentivar a vacinação, inclusive entre os acompanhantes de crianças em internação”, destacou Ana Cristina Moraes.

A vacina Influenza trivalente, disponibilizada gratuitamente nas unidades de saúde, é uma peça-chave no combate à gripe sazonal. Produzida e entregue pelo Instituto Butantan, seguindo as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), a vacina deste ano inclui cepas do vírus influenza A (H1N1 e H3N2) e uma cepa do tipo B (linhagem Victoria). A necessidade de tomar a vacina anualmente é crucial, pois ela é atualizada conforme as cepas mais circulantes no mundo.

Desde novembro, observou-se um aumento nos casos de covid-19 e nas internações no estado. A Secretaria de Saúde ampliou os atendimentos nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e unidades sentinelas, mas destaca que pacientes que apresentam agravamentos nos sintomas não completaram seus esquemas vacinais.

Programa Nacional de Imunizações (PNI): Priorizando os mais vulneráveis

A vacinação contra a covid-19 e Influenza faz parte do Programa Nacional de Imunizações (PNI), priorizando populações mais vulneráveis. Crianças de 6 meses até 5 anos, idosos, pessoas com comorbidades, imunocomprometidos, indígenas, ribeirinhos, quilombolas, pessoas em situação de rua e profissionais da saúde são considerados grupos prioritários. A vacinação desses grupos não apenas protege os indivíduos, mas contribui para a redução da circulação dos vírus na comunidade.

Em resumo, a vacinação é a melhor estratégia para proteger as crianças contra doenças imunopreveníveis, incluindo a covid-19 e a Influenza. É fundamental que pais e responsáveis estejam atentos ao Calendário Nacional de Vacinação, garantindo que as crianças estejam devidamente protegidas antes do retorno às aulas. A vacinação não apenas protege os indivíduos, mas também é essencial para conter a disseminação dessas doenças na comunidade, promovendo a saúde coletiva e a segurança de todos.

Assessoria

Últimas