21 junho 2024

Estado viabiliza avião para captação de órgão e salva mais uma vida com transplante de fígado na Fundhacre

Agência de Notícias do Acre

Date:

Aconteceu na Fundação Hospital Estadual do Acre (Fundhacre), na noite da sexta-feira 23, mais um transplante de fígado. O Receptor W.O.L, 41 anos, procedente do município de Rio Branco, portador de cirrose hepátic,a decorrente do vírus da hepatite B e Delta, estava na fila de espera por um transplante de fígado desde de 2023.

Todo o procedimento teve início por volta das 18h da tarde da quinta-feira, 22, quando um doador de Porto Velho, em Rondônia, foi notificado pela Central Estadual de Transplantes, iniciando-se a corrida contra o tempo para realização dos procedimentos de retirada e transplante em tempo hábil.

A logística de captação bem sucedida foi possível graças ao apoio do governo do Estado que viabilizou aeronave para deslocamento da equipe de captação de Rio Branco para Porto Velho e retorno da equipe com o órgão, pois não havia possibilidade de voo comercial em tempo hábil e nem aeronave da FAB disponível, naquele momento.

“O governo do Acre não mede esforços na promoção de assistência a saúde pública e quando se trata de salvar vidas, principalmente. Todos os transplantes que vem ocorrendo no hospital tem um apoio significativo do Estado. Atuamos conforme determina nosso governador Gladson Cameli, que é cuidar das pessoas com um trabalho assistencial humanizado, e assim temos feito”, enfatiza o presidente da Fundhacre, João Paulo Silva.

Por volta das 10h da manhã de sexta a equipe de captação, chefiada pelo cirurgião Tércio Genzini, embarcou com destino a Porto Velho onde foi realizada a cirurgia de captação de órgãos e pousaram novamente em Rio Branco por volta de 17:40h, com o fígado.

Uma segunda equipe já preparava o receptor no Centro Cirúrgico da Fundhacre, onde aconteceu a cirurgia de transplante de fígado. “O procedimento ocorreu sem intercorrências, com término por volta das 23h, o receptor segue estável, apresentando boa evolução aos cuidados da Unidade de Terapia Intensiva da Fundhacre”, destaca a coordenadora de transplantes Valéria Monteiro.

Últimas