16 junho 2024

Mãe de aluno com paralisia cerebral diz que escola de Rio Branco esqueceu de chamar o filho para formatura

Redação Folha do Acre

Date:

A formatura na escola é um momento muito esperado pelos os alunos de quaisquer idades e também pelos os familiares. Para o estudante de 15 anos, Vitor Gustavo, que tem paralisia cerebral, conhecida como encefalopatia crônica e também esquizencefalia, era um dos dias que ele mais esperava que fosse acontecer. Porém, a mãe Clicia da Silva, afirmou que a escola Escola Doutor Mário de Oliveira, diz ter esquecido do filho, mas ela não acredita nesta justificativa.

“Ele estava esperando muito por essa formatura. Ele dizia para todo mundo que ia tirar foto, que ia mandar para a família, e quando ele soube que estava tendo a formatura, ele ficou triste. Já no período da noite, Gustavo não quis nem comer e não quis a dieta dele”, diz a mãe.

Silva relata que descobriu que estava ocorrendo a formatura durante uma consulta com a fonoaudióloga do filho. Durante as orientações da profissional, ela recebeu a ligação da cuidadora perguntando se ela não viria para celebração.

“Mãezinha, vocês não vem? Eu falei para onde? E ela me falou que estava tendo a formatura do Gustavo. Logo em seguida, falei que ninguém havia me chamado. Ninguém me convidou, ninguém falou nada. Ele ouviu [filho], e ficou triste na mesma hora”, relembra Silva. 

A mãe relata que esteve na escola três dias antes da formatura acontecer e mesmo assim ninguém chegou a avisá-la. “Todo mundo estava lá. Todo mundo me viu e ninguém me falou dessa formatura, eles disseram que a formatura aconteceu em cima da hora, quase ninguém sabia, mas eu fiquei chateada. A secretária mandou mensagem para antiga cuidadora dele do ano passado que não está com ele desde setembro, que é automaticamente ligada a ele. Se mandaram mensagem pra ela, automaticamente deveriam ter lembrado dele”

Quando perguntado sobre a justificativa da escola, a mãe relata que eles pediram perdão e disseram que havia esquecido do aluno. Apesar disso, Clicia Silva relembra que isso não faz sentido para ela, pois o filho estuda há quatro anos na escola e quando ele precisou ser internado para realizar tratamentos médicos, as pessoas mandavam mensagens e ligavam com constância.

“Eu falei que não aceitava que tenham esquecido dele, não por isso, mas porque todas as outras pessoas sabiam, custava alguém me ligar, me mandar mensagem, a pessoa falou que não havia tido tempo, pois foi muito corrido, mas ela teve tempo de chamar a antiga cuidadora dele, que já não está mais com ele há quatro meses, como ela não teve tempo de chamar meu filho ou de mandar uma mensagem pra mim”, explica Silva.

30 dias internado

A mãe reforça que esse momento era importante para ele, pois o ano de 2023 foi um período difícil. Ela relata que ele passou 30 dias internados no Pronto-Socorro de Rio Branco, pois teve pneumonia e pneumotórax, e com isso, precisou passar por cirurgias e se alimentou por sonda. “Ele é muito emotivo, se ele espera muito por uma coisa e essa coisa não acontece, ele fica com febre, e a febre causa convulsão nele”, afirma a mãe.

Apesar desses dias de internações, Clicia Silva diz que sofreu bastante e achava que o filho não iria sobreviver, mas que não se sentiu tão mal quanto ela se sente agora.

“Porque eu sabia que ele estava sendo bem cuidado, que os médicos estavam cuidando dele com excelência, e de repente isso aconteceu. Eu fiquei muito angustiada. Fiquei assim com tanta raiva, que eu não consigo nem me expressar direito, pois meu filho não quis mais comer, ficou triste, e olha que ele é uma criança muito sorridente. Como pode esquecer de uma criança que estava ansiosa para a formatura e que na escola todo mundo sabia do diagnóstico dele. Todo mundo sabia [ da formatura], menos a gente, não foi informado”, diz.

“Aula da saudade”

Após alguns dias, uma funcionária da escola entrou em contato com a Clicia Silvia e afirmou que a diretora queria fazer uma aula da saudade, especialmente para ele. Mas, a mãe decidiu não aceitar, pois o estudante não queria isso, e sim a formatura.

“A formatura dele não vai voltar mais. Ele não se formou igual ele queria. Ele não tirou foto para mandar para família. Então, o que adianta uma aula da saudade? Meu filho passou o ano todo indo pra escola. Ele queria a formatura dele e isso ele não pôde ter. E eu falei para ela que não aceitava”, relembra.

Ela acrescentou que a diretora da escola, Janaina Leduino, entrou em contato com ela para pedir desculpas e que uma funcionária disse que o Vitor Gustavo era importante para escola, mas a mãe questionou. “Mas como que ele é importante para escola, se esqueceram dele? Se sabiam que era muito importante para ele se formar e mesmo assim esqueceram dele?”, afirma.

A diretora da escola Janaina Leduino, entrou como gestora interina desde outubro de 2023, e está recente no cargo. “Eu nem culpo a diretora, ela está nova lá e só está há uns três meses, mas todo o resto de lá, todos os outros funcionários, sabiam de tudo isso, como do diagnóstico dele, que  estava esperando por essa formatura há muito tempo, que simplesmente não me avisaram”, conclui.

Doutor Mário de Oliveira

O site Agazeta.net também entrou em contato com a escola Doutor Mário de Oliveira para entender ainda mais a situação, segundo a diretora Janaina Leduino, ela afirma que entrou recente no cargo, mas que está averiguando os fatos e realizando as devidas apurações sobre o ocorrido.

“Estou como gestora interina desde outubro de 2023, vou verificar com a equipe gestora que conhece o aluno. Eu averiguando os fatos”, diz Leduino.

É importante salientar que o site estará com espaço aberto para mais atualizações por parte da escola.

Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esportes

Além de entrar em contato com a Doutor Mário de Oliveira, o site Agazeta.net também buscou mais informações com a Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esportes (SEE), que afirmou que a informação ainda não havia chegado a eles, pois a família não os procurou.

“A informação sobre o ocorrido não havia chegado ainda na secretaria. A família não procurou a secretaria. Estamos aguardando retorno”, diz a pasta.

Da mesma forma que o espaço segue aberto para a escola Doutor Mário de Oliveira, o site também estará disponível, caso tenham mais atualizações e informações sobre o fato.

Fonte: agazeta.net

Últimas