20 junho 2024

Governo do Acre abre agenda de comércio exterior com prospecção de negócios em Madre de Dios

Redação Folha do Acre

Date:

O governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Indústria, Ciência e Tecnologia (Sect), abriu sua agenda de comércio exterior deste ano com atividades na Câmara de Comércio de Madre de Dios, na região sudeste do Peru, com o objetivo de estreitar a relação bilateral de exportação e importação de produtos entre os países do Brasil e o Peru. A agenda aconteceu nos últimos dias 26 e 27, sexta e sábado.

Uma exposição de produtos acreanos para empresários peruanos marcou o encontro. Oito indústrias do Acre participaram do evento de caráter experimental. O titular da Seict, Assurbanípal Mesquita, lembrou que a agenda faz parte dos compromissos firmados em setembro do ano passado, em Rio Branco, entre Brasil e Peru, durante o primeiro encontro da fronteira sul da Amazônia.

“Agora vamos construir uma agenda mais sólida para intensificar esta parceria, levar também produtos tipo exportação de Madre de Dios para o Acre, fortalecendo nossa balança comercial e o Corredor Interoceânico”, acrescentou Mesquita.

Entre os negócios prospectados, a indústria de ração acreana Nutrak ampliou a sua oferta de proteína animal que atualmente é importada para a região de Puno. Outro protagonista em eventos internacionais com o Peru, a Indústria de Café Contri, também participou da exposição.

Para o presidente da Câmara de Comércio Madre de Dios, Orestes Quino Tica, os resultados da primeira experiência de negócios foram satisfatórios. “Os produtos do Acre que chegavam até Puno serão comercializados a partir de agora em nossa região, ampliando o mercado de exportação do Brasil. Creio que também avançaremos com a importação do que produzimos. Ficamos muito agradecidos”, disse Orestes.

O consultor Alejandro Salinas que acompanhou a delegação do Acre no evento, destacou que a exportação de produtos acreanos se amplia em torno do lago Titicaca que tem 190 km de expansão. “As truchas produzidas com proteína produzida no Acre tem 30% a mais de aproveitamento refletindo na economia dos pescadores. Daí essa recepção calorosa aos empresários na região”, garantiu Salinas.

Últimas