16 junho 2024

Acre registra 367 casos de dengue na primeira semana de janeiro

Agência de Notícias do Acre

Date:

Diante do aumento de casos de síndromes febris ocasionadas pelas arboviroses (dengue, chikungunya, zika, mayaro e oropouche) em todo o país, a Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre), preparou um boletim informativo, com base nos dados disponíveis nos painéis de monitoramento.

De acordo com os dados reunidos pelo Departamento de Vigilância em Saúde (DVS) da Sesacre, na primeira semana de 2024, de 1º a 7 de janeiro, foram registradas 367 notificações de dengue.

A capital, Rio Branco, concentra o maior número de registros, com 32,3% do total de notificações, seguida de Feijó, com 10,5% dos casos. Com a menor taxa do estado até o momento, o município do Bujari registrou apenas duas notificações de dengue na primeira semana de janeiro.

Aumento de casos

Conforme estimativas do Ministério da Saúde (MS), este ano o número de casos de dengue no Brasil pode chegar a cinco milhões. A projeção da elevação de casos se deve a uma combinação de fatores, em especial calor e chuva intensos, e ao ressurgimento recente dos sorotipos 3 e 4 do vírus no Brasil. Atualmente, os quatro sorotipos da doença (1, 2, 3 e 4) circulam no país, em uma situação considerada incomum.

As arboviroses apresentam um comportamento sazonal no país, ocorrendo, principalmente, entre os meses de outubro e maio. A dengue é uma doença cíclica, que provoca um número maior de casos geralmente de três em três anos.

Decreto de emergência

O governo do Acre publicou, na última semana, o decreto nº 11.396, que estabeleceu situação de anormalidade. A medida é uma forma de planejar, alinhar e reforçar as ações de combate a dengue em todo o estado, pelo período mínimo de 90 dias.

Últimas