19 junho 2024

17 farmácias no Acre distribuem absorventes grátis a pessoas pobres ou vulneráveis

Redação Folha do Acre

Date:

Dezessete farmácias no Acre estão credenciadas para distribuírem absorventes para a população em situação de vulnerabilidade social em 11 municípios locais. A ação integra o projeto Farmácia Popular, do governo federal, por meio do Programa de Proteção e Promoção da Saúde e Dignidade Menstrual

As farmácias habilitadas para doação podem ser encontradas em Rio Branco (5), Cruzeiro do Sul (2), Sena Madureira (2), Acrelândia (1), Epitaciolândia (1), Feijó (1), Mâncio Lima (1), Plácido de Castro (1), Rodrigues Alves (1), Senador Guiomard (1) e Tarauacá (1).

“A equidade de gênero e acesso aos absorventes, combatendo as desigualdades causadas pela pobreza menstrual, é tema prioritário tratado de forma interministerial desde o início da atual gestão”, informa o Ministério da Saúde.

As doações são para grupos que vivem abaixo da linha da pobreza e estão matriculados em escolas públicas, em situação de rua ou em vulnerabilidade extrema. Pessoas que cumprem pena em regime fechado também serão contempladas. O público-alvo é mulheres e homens trans que têm entre 10 e 49 anos de idade. Cerca de 127 mil pessoas devem ser contempladas no estado.

“Para garantir o benefício, as pessoas que se encaixam nos critérios já estabelecidos precisarão apresentar um documento de identificação pessoal e uma autorização na farmácia credenciada. Essa autorização será emitida pelo aplicativo ‘Meu SUS Digital’– a nova versão do Conecte SUS já disponível para download”, explica o MS.

O download do aplicativo está disponível no site do Ministério da Saúde. Orientações podem ser obtidas por meio do Disque Saúde 136.

Para retirar o absorvente, é necessário ir até uma unidade credenciada do Farmácia Popular, apresentar documento de identificação oficial com número do CPF e a ‘Autorização do Programa Dignidade Menstrual’, em formato digital ou impresso. O documento é gerado via aplicativo ou site do ‘Meu SUS Digital’. Menores de 16 anos só podem adquirir os itens na presença de um por responsável legal.

Unidades Básicas de Saúde (UBS) poderão orientar aqueles que estão com dificuldade para acessar o aplicativo ou emitir autorização. Para pessoas em situação de rua, outra opção para auxiliar, em caso de dificuldade, são os Centros de Referência da Assistência Social (Cras), Centros POP, centros de acolhimento e equipes de Consultório na Rua.

Recolhidos em unidades prisionais terão a entrega coordenada e executada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, com distribuição direta nos complexos penitenciários.

A Gazeta do Acre

Últimas