20 junho 2024

Violência contra a mulher vai além da agressão física, enfatiza Socorro Neri

Assessoria

Date:

Integrante da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, que tem dentre as atribuições a prevenção à violência contra a mulher, a deputada Socorro Neri(PP) exortou a passagem, no último dia 25,do Dia Internacional da Nâo-Violência Contra a Mulher .E salientou: ”Essa violência pode se revelar de forma mais sutil como psicológica e moral ou ainda ostensiva como patrimonial e política”, destacou.

Ao apontar a herança patriarcal brasileira e fatores sociais como ingredientes decisivos à violência contra a mulher, a deputada destacou que o Brasil ainda apresenta dados alarmantes, “como o fato de, a cada hora, 26 mulheres sofrerem agressão física no país”. E isto, lembra a parlamentar, apesar da Lei Maria da Penha ser reconhecida internacionalmente, ”ao resguardar vida de mulheres, garantindo punição para agressores e possibilitando atendimento humanizado às vítimas”.

Neri destacou ainda que não ter acesso à educação, equipamentos de saúde ,emprego, informação e ao direito a cidades seguras são formas de violação que ferem direitos , ”e expõe as mulheres a novas situações de violência”. Por isto mesmo, garante , o combate à violência contra a mulher deve ser bandeira prioritária de toda a classe política, não apenas por uma questão humanística, mas como forma de superar definitivamente a aceitação “da desigualdade de gênero, da discriminação, da opressão e da crença de que os homens têm superioridade sobre as mulheres”.

Combate efetivo à violência

Para a deputada, são diversos os desafios políticos para um combate mais efetivo à violência contra a mulher. Dentre eles está a quebra da dependência econômica da mulher ,implemento de políticas públicas para a defesa da igualdade de gênero e ,sobretudo, a luta contra a legitimação dos agressores além de uma legislação suficientemente defensiva e aparato legal(e material) para a garantia contra o agressor.

Neste sentido, destacou a deputada, a implementação no Acre de 3 três unidades da Casa da Mulher Brasileira(Rio Branco, Cruzeiro do Sul e Epitaciolândia) que contou com emenda da então senadora e hoje vice-governadora Mailza Assis, foi uma iniciativa extremamente relevante para o combate a um problema que “mancha toda a sociedade brasileira”.

Últimas