23 fevereiro 2024

Veja o que se sabe sobre acidente que deixou 12 mortos após explosão de avião em Rio Branco

G1/AC

Date:

Um avião de pequeno porte explodiu ao cair próximo à pista do Aeroporto Internacional de Rio Branco, na manhã deste domingo (29). Segundo o Governo do Estado do Acre, todas as 12 pessoas a bordo morreram.

Parte dos passageiros estava viajando para receber tratamento médico. O voo decolou de Rio Branco às 7h20 com destino a Envira, no Amazonas (confira os detalhes abaixo). A aeronave modelo Caravan caiu por volta das 7h21 no horário local (9h21 em Brasília), logo após a decolagem, segundo a empresa –informação confirmada pelo aeroporto.

Imagens feitas pelo Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) mostram o incêndio no local. Os bombeiros conseguiram controlar as chamas após cerca de quatro horas e a retirada de corpos e destroços foi iniciada. Todos os corpos foram retirados. Confira abaixo o que já se sabe e o que ainda falta esclarecer sobre a queda da aeronave.

A aeronave era pilotada por Cláudio Atílio Mortari, que era natural de São Paulo, mas também morava em Itaituba, no Pará. De acordo com trabalhadores da empresa, Cláudio morava no Pará desde a década de 80.

O copiloto Kleiton Lima Almeida, de 39 anos, nasceu e morava em Itaituba, no sudoeste do Pará. Ele tinha se tornado pai há um mês, segundo a irmã, Gardeny Lima.

Pelas redes sociais de Kleyton era possível acompanhar suas atividades além da aviação. Ele compartilhava fotos de momentos agradáveis, em que praticava exercícios físicos e esportes, como andar de bicicleta ao lado da companheira, Anny Trindade, e treinar jiu-jítsu com os colegas e parceiros.

Ana Paula era natural de Eirunepé, no Amazonas, e tinha 19 anos. Ela viajava com a filha de 1 ano e 7 meses.

José Marcos Mattos, era natural de Envira, no Amazonas e tinha 51 anos. Ele era irmão de outro passageiro, Antônio Cleudo. Ao g1, o tio deles, Rômulo Mattos, lamentou o acidente e disse que a notícia abalou toda a família.

Antônio Cleudo Mattos era natural de Envira, no Amazonas, tinha 46 anos. Era irmão de José Marcos, e também era empresário.

Jamilo Motta Maciel era natural de Eirunepé, no Amazonas, tinha 27 anos. Ele completaria 28 anos em 24 de dezembro.

Raimundo Nonato de Melo, de 32 anos, era dentista e estava na capital acreana para fazer um curso. A tia dele Marilene Ferreira de Melo disse à Rede Amazônica que Raimundo Nonato relatou problemas em voo anterior na mesma aeronave.

“O avião que ele vinha na terça-feira, estava com problema, e ele não veio. À noite, ligaram para ele perguntando se ele queria vir na quarta, e ele veio, porque disseram que estava perfeito. Como hoje era domingo, ele tinha que estar lá às seis horas, e disseram que o avião estava bom, ele foi. O avião já havia apresentado [problemas] em semanas anteriores”, relatou.

Ainda não há informações sobre possíveis causas para a queda do Cessna Caravan Modelo 208B. O Sétimo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa VII), localizado em Manaus, vai apurar as causas do acidente.

De acordo com a Aeronáutica, na investigação “serão utilizadas técnicas específicas, conduzidas por pessoal qualificado e credenciado que realiza a coleta e confirmação de dados, a preservação de indícios, a verificação inicial de danos causados à aeronave, ou pela aeronave, e o levantamento de outras informações necessárias ao processo”.

Últimas