29 maio 2024

Emocionados, familiares das vítimas de voo que caiu e explodiu com 12 pessoas chegam ao Acre

Redação

Date:

Começaram a chegar em Rio Branco os familiares de quatro das 12 vítimas que morreram na queda de uma aeronave na manhã desse domingo (29), próximo à pista do Aeroporto Internacional de Rio Branco. Em voo da empresa ART Taxi Aéreo, mesma responsável pelo avião do acidente, os familiares vinham de Eirunepé e foram recebidos por uma equipe da Secretaria de Saúde do estado (Sesacre). Bastante emocionados, eles não falaram com a imprensa.

A Polícia Técnica Científica do Acre ainda não tem uma previsão de prazo para começar a identificar e liberar os corpos. Por causa do estado de alguns corpos, a perícia tenta a identificação por meio de DNA e auto-reconhecimento. O diretor-geral do departamento de Polícia Técnica Científica, Mário Sandro Martins, informou que já foram coletadas amostras dos restos mortais das vítimas.

Estefânia Pontes, coordenadora do Núcleo de Serviço Social do Complexo Regulador da Sesacre, disse que foram ao local para o primeiro acolhimento.

“Reunimos a equipe de duas psicólogas, eu como assistente social, nós já estivemos ontem aqui e pegamos todas as informações acerca dos passageiros, uma situação muito trágica, muito difícil para os familiares e também pra todos os que estamos trabalhando, no sentido de dar esse suporte para as famílias. E agora nós vamos estar recebendo 4 famílias pra fazer esse acolhimento, ver as necessidades não só sociais, mas também emocionais dessas famílias, porque é um momento de muita dor, um momento em que elas vão precisar fazer, talvez, o reconhecimento dos corpos ou o exame do DNA. E aí a Sesacre está colocando nós como profissionais para que a gente possa estar fazendo esse acompanhamento às famílias”, disse.

Sergio Bents, diretor de segurança operacional da ART Táxi Aéreo, diz que desde o momento do acidente a empresa tem prestado apoio às famílias.

“Nós abrimos o nosso plano de assistência a familiares de vítimas, que é um plano já coordenado com a base principal e a base secundária, de formas que a gente, desde o primeiro momento, tem dado suporte, estamos trazendo todos para Rio Branco para fazer a coleta do DNA, estamos disponibilizando hotel, transporte e alimentação para todos, conforme nosso plano”, disse.

g1

Últimas