21 julho 2024

Polícia acha sangue na casa de suspeito de ter matado mulher e jogado corpo no Rio Acre

Redação Folha do Acre

Date:

As forças de segurança pública continuam com os esforços para solucionar o desaparecimento de Rayres Silva Ferreira, de 23 anos, que foi vista pela última vez na última segunda-feira (21), nas proximidades da casa do ex-companheiro, em um bairro que fica nas localidades do Rio Acre, em Brasiléia. Segundo informações, ele não aceitava o fim do relacionamento.

Os investigadores encontraram a bicicleta e peças de roupa de Rayres, no Rio Acre, local onde moradores disseram ter ouvido gritos de socorro no dia em que ela desapareceu. Desde então, os bombeiros iniciaram buscas pelo afluente, na tentativa de encontrar a jovem, a suspeita é de que seu ex-companheiro teria a matado e jogado o corpo no rio. Após três dias de procura as equipes suspenderam as buscas.

Foram encontradas, ainda, marcas de sangue na casa da família do suspeito pelo crime, que também está desaparecido, e no trajeto da residência até o rio. No primeiro depoimento, o pai do suspeito contou que Rayres foi até sua casa e conversou com seu filho após alguns minutos ele teria ouvido barulho de briga e foi checar o que houve, no entanto, ao chegar no cômodo, o filho disse não ser nada.

Em outro depoimento, dado na sexta-feira (25), o pai contou que lembrou de ter visto o filho voltando sozinho do Rio Acre após ouvir o som de briga. Segundo o delegado responsável pelo caso, Erick Maciel, foram encontradas manchas de sangue em um ventilador e no chão de um dos quartos da casa. O suposto autor teria, ainda, limpado o local.

Ainda de acordo com o delegado, na segunda (21) uma equipe da polícia foi até a residência, após ser comunicada do desaparecimento de Rayres, e encontrou marcas de sangue em um ventilador e no chão do quarto.

A mãe da vítima será levada até Rio Branco para realizar um exame de DNA, dessa forma os investigadores poderão saber se o sangue encontrado na casa é de Rayres. O delegado acredita que a jovem esteja morta e que o grande mistério seja onde seu corpo foi colocado.

O suspeito já tem condenação por homicídio, praticado em Xapuri e envolvimento com facções criminosas. As investigações sugerem que ele tenha fugido para outro estado.

ContilNet

Últimas