26 fevereiro 2024

Detento assassinado por vingança levou cerca de 20 golpes de estoque

Redação

Date:

Mais conhecido como “Tuquinha”, o detento Edvan da Silva Dias (à dir. na foto), de 38 anos, foi morto a golpes de estoque – um tipo de arma artersanal. O crime ocorreu no final da manhã desta quinta-feira, 31, na Penitenciária Francisco de Oliveira Conde, situado na Estrada do Barro Vermelho, em Rio Branco.

Segundo informações, Edvan estava no corredor do pavilhão K, ao qual ficam recluso membros da organização criminosa Bonde dos 13 (B13), quando foi abordado por dois presidiários; um deles teria segurado a vítima e o outro desferiu, aproximadamente, 20 golpes de estoque, que atingiram a região do pescoço, peito, costas.

Policiais penais, ao perceberem a situação, foram até ao corredor e encontraram o presidiário sangrando muito. Após o ocorrido, os outros detentos foram recolhidos até as suas celas.

A ambulância do suporte avançado do SAMU foi acionada, mas, quando os paramédicos chegaram ao local, nada puderam fazer, pois Edvan já estava sem vida.

A área foi isolada pelos policiais penais para os trabalhos do perito em criminalística. Após o término da perícia, o corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para os exames cadavéricos.

Dois detentos Marcelo Maia da Costa e Rafael da Silva Santos assumiram o crime, alegando vingança. Os autores foram encaminhados à Delegacia de Flagrantes (Defla).

O caso segue sob investigação dos Agentes de Polícia Civil da Equipe de Pronto Emprego (EPE) depois ficará à disposição da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

O Iapen emitiu nota confirmando o caso, bem como a confissão dos acusados. O órgão se solidarizou com a família da vítima. Veja a nota:

O governo do Acre, por meio do Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen), vem a público informar que foi confirmada a morte do detento Edivan da Silva Dias, nesta quinta-feira, 31, no pavilhão K do Complexo Penitenciário de Rio Branco.

Os detentos, suspeitos do homicídio, já foram ouvidos em depoimento e disseram que a motivação do crime foi vingança, já que Edivan teria assassinado o irmão de um dos agressores.

Quanto à causa da morte, o Iapen aguarda a divulgação do laudo da perícia técnica, que informará as reais circunstâncias da ocorrência do óbito.

A Polícia Civil segue com as investigações.

Em razão do fato, o Iapen manifesta o sentimento de pesar à família enlutada, desejando que Deus, em sua infinita misericórdia, dê o conforto necessário e que nele encontre a força para esse momento de tristeza e dor.

Alexandre Nascimento
Presidente do Iapen/AC

Fonte: A Gazeta do Acre

Últimas