2 março 2024

Mais de 770 casos de coqueluche e 8 mortes na Bolívia deixa a fronteira do Acre em alerta

Redação Folha do Acre

Date:

O Ministério da Saúde e Esportes da Bolívia divulgou um novo boletim informativo, atualizando os números da coqueluche no país até o último sábado, 12 de agosto. Os dados revelam que 779 casos da doença foram confirmados em todo o território nacional. Dentre esses casos, 487 acometeram menores de 5 anos, enquanto 292 foram registrados em indivíduos acima dessa faixa etária.

Das 779 pessoas infectadas, 434 já se recuperaram da doença, enquanto 337 permanecem como pacientes ativos, recebendo tratamento. No último sábado, foram reportados 10 novos casos de coqueluche, sendo que também se lamentaram 8 mortes relacionadas à doença.

Santa Cruz se destaca como o departamento com o maior número de infecções, totalizando 730 casos confirmados. Além disso, foram notificados 42 casos em Beni e um caso em cada um dos departamentos de La Paz, Oruro e Pando.

A coqueluche, causada pela bactéria Bordetella pertussis, é uma enfermidade infecciosa aguda altamente contagiosa que afeta o trato respiratório superior. Caracteriza-se por inflamação traqueobrônquica e por ataques de tosse intensa e espasmódica, muitas vezes acompanhados de sensação de sufocamento e um som agudo durante a inspiração.

Frente ao primeiro caso positivo de coqueluche no município de Cobija que faz fronteira com Brasiléia e Epitaciolândia no lado brasileiro, o Governo Autônomo Departamental de Pando está tomando medidas rigorosas. A SEDE DO PANDO iniciou buscas em diferentes bairros da capital, por meio de visitas domiciliares que incluem um acompanhamento detalhado da vacinação de crianças menores de 5 anos. Esse esforço conta com a colaboração de equipes de estabelecimentos de saúde, do Programa SAFCI Mi Salud e da Direção Municipal de Saúde de Cobija.

O Dr. Danny Hugo Mendoza Ojopi, Diretor Técnico da SEDES PANDO, destacou que a vacinação é a maneira mais segura e eficaz de conter a propagação da doença. Ele enfatizou a importância de vacinar crianças menores de 5 anos como medida preventiva essencial.

No Acre, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) está agindo de forma proativa. A Vigilância em Saúde está elaborando um plano de contingência para capacitar unidades de saúde e profissionais no manejo de possíveis casos de coqueluche. A doença é conhecida por causar crises de tosse seca que podem afetar as vias respiratórias, incluindo a traqueia e os brônquios.

Embora a Sesacre tenha assegurado que não há casos suspeitos da doença no estado por enquanto, é importante destacar que a coqueluche pode ser prevenida por meio da vacinação. Crianças menores de seis meses são particularmente vulneráveis às complicações dessa doença, por isso, medidas preventivas como a vacinação são fundamentais para manter a saúde da população.

Informações O Alto Acre

Últimas