Com contas reprovadas, Leila Galvão pode ser impedida de disputar eleições

 

Possível nome para entrar na disputa pela sucessão municipal em Brasileia nas próximas eleições, a ex-prefeita e ex-deputada estadual Leila Galvão (MDB) teve suas contas relativas às eleições estaduais de 2022 reprovadas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AC) e, com isso, pode ter impedimentos legais para formalizar uma candidatura, caso seja essa sua pretensão política futura.

Ao ContilNet, Leila Galvão informou que está tomando as devidas providências para regularizar seu nome junto à Justiça Eleitoral. “Estamos com advogado e, se Deus quiser, vai dar certo”, disse otimista.

Tendo sido candidata a deputada estadual em 2022, Leila Galvão obteve pouco mais de 4 mil votos não se elegeu. Segundo o Acórdão N. 6.676/2022, na prestação de contas de sua campanha eleitoral foram encontradas falhas e divergências nas informações declaradas ao TRE- AC referente à arrecadação e aplicação de recursos utilizados. Além de reprovar as contas, o juiz eleitoral Roberto Barreto de Almeida, relator do processo, determinou a devolução de R$ 38,6 mil ao erário.

Leila Galvão está atualmente no MDB, mas já foi uma das principais lideranças políticas do PT do Alto Acre, tendo sido prefeita de Brasileia por dois mandatos consecutivos, de 2005 a 2008 e de 2009 a 2012, ficando à frente da gestão municipal da principal cidade daquela região por oito anos.

Depois, ainda no PT, elegeu-se deputada estadual para um mandato no período de 2015 a 2018. Antes das eleições de 2022, Leila Galvão já havia tentado a reeleição em 2018, obteve 6.071 votos e não foi eleita.

Em 2020, ano das últimas eleições municipais Leila Galvão saiu do PT e filiou-se ao MDB para disputar a Prefeitura de Brasileia contra a atual prefeita Fernanda Hassem, à época também no PT. As duas foram para o segundo turno do qual Fernanda saiu vitoriosa.

Se vai ou não colocar-se na disputa eleitoral à Prefeitura de Brasiléia em 2024, apesar de sucinta nas palavras, ela não nega a intenção. “Estamos conversando com muita cautela. O movimento por aqui exige muita sabedoria.”, concluiu.

ContilNet

Compartilhe este artigo