Trecho na BR-317 interditado por moradores é liberado após negociação em Rio Branco

Após conversa com representantes da Prefeitura de Rio Branco, do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes no Acre (Dnit-AC) e da Polícia Rodoviária Federal, moradores da Comunidade Baixa Verde decidiram desmontar, nesta sexta-feira (14), o bloqueio que impedia a passagem no km 71 da BR-317, próximo ao entroncamento das Quatro Bocas, na saída da capital acreana.

O trecho estava interditado desde essa quinta (13) em protesto pela aceleração no processo de recuperação do km 102 da BR-364, que rompeu durante a forte chuva que atingiu Rio Branco no dia 23 de março. O Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes no Acre (Dnit-AC) já iniciou as obras de recuperação do trecho, mas a previsão é de que trabalhos sejam concluídos em um prazo de três meses.

Enquanto isso, o ponto da estrada que liga o Acre a Porto Velho (RO) segue interditado. A rota alternativa usada pelos motorista é pela AC-40, passando por Senador Guiomard, depois pega a BR-317 até o entroncamento com a BR-364 (Quatro Bocas) e segue para Porto Velho.

Os manifestantes afirmaram que o bloqueio na BR-364 deixou a comunidade sem coleta de lixo, sem circulação do ônibus escolar, do transporte público e uma série de outros problemas. E, exigiam a abertura de um desvio no trecho rompido.

Na manhã desta sexta, equipes da Casa Civil da prefeitura, da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), do Dnit, da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (RBTrans), do Gabinete Militar e da PRF-AC conseguiram negociar com os manifestantes e a liberação do trecho interditado.

Abertura de desvio

O superintendente do Dnit, Carlos Moraes, explicou que soube da manifestação da comunidade e se reuniu com a liderança do movimento na última terça-feira (10) para ouvir as reivindicações. A partir da conversa com a comissão, o Dnit decidiu fazer o desvio para que o acesso à comunidade retornasse.

Nessa quarta (12), as obras do desvio foram iniciadas. Mesmo assim, os moradores decidiram fazer o protesto e fechar a rodovia.

“Mas parece que essa comissão não conseguiu convencer a maioria das pessoas que estava lá e, mesmo assim, decidiram manter o bloqueio. Então, avisamos para eles que bloqueio de rodovia federal é crime previsto em lei e que aí é caso da Polícia Rodoviária Federal. O que estão pedindo a gente vai atender, até o dia 30 de abril estaremos com o desvio pronto, sinalizado e liberado para o tráfego, as obras já estão acontecendo”, complementou o superitendente.

G1

 

Compartilhe este artigo