16 julho 2024

No Acre, adolescente ameaçou colegas de escola e tinha acesso a arma

Redação

Date:

No auditório da Polícia Civil, na Avenida Antônio da Rocha Viana, no bairro Bosque, a direção revelou que na madrugada desta sexta-feira, 14, os agentes cumpriram novas ordens judiciais, em Rio Branco e Acrelândia, e apreenderam sete pessoas envolvidas nas ameaças de massacre às escolas do Acre.

Segundo o delegado Robert Alencar, ao todo foram identificados 11 perfis dos autores dos atos criminosos, porém, deixou claro que a PC já está investigando outras redes de autores das supostas ameaças. “Cumprimos 7 ordens judiciais, nas quais foram apreciados pelo Poder Judiciário”, comentou.

Alencar ressaltou ainda que um dos apreendidos, que não teve a identidade revelada, já havia feito comentários na escola que iria praticar crimes no município de Acrelândia. “Ele disse que ia atirar com a arma do pai. Esse atentado não vai se concretizar, a Polícia Civil se antecipou contra um possível atentado, se fosse ocorrer. Outros dois jovens, de 13 a 13 anos, criaram perfis em tom de brincadeira, eles já foram identificados”, declarou, dizendo que após o início da investigação, todos os autores excluíram as contas.

Sobre a apreensão da arma, a Polícia Civil garantiu que o pai do jovem tinha porte de arma e adiantou que o menor está suspenso das aulas até que sejam tomadas as medidas cabíveis”, Apenas suspenso”.

De acordo com a instituição, foram apreendidos equipamentos eletrônicos e os autores das ameaças, em Rio Branco e no interior do Acre. O delegado-geral, Henrique Maciel contou que as autoridades estão atentas e tranquilizou a população. “Agimos de forma preventiva e as ameaças não são reais e pedimos a quem tem porte de arma de fogo que guarde para que o adolescente não tenha acesso”, ressaltou.

Ac24horas

Últimas