12 julho 2024

Em Brasiléia, servidores se unem para realizar reforma em delegacia por falta de estrutura, denuncia Tadeu Hassem

Assessoria

Date:


O deputado pediu a atenção e sensibilidade do poder público para a região de fronteira

O deputado estadual Tadeu Hassem (Republicanos-AC) usou a tribuna no pequeno expediente da Assembleia Legislativa do Estado do Acre (Aleac) para denunciar a situação da delegacia de Brasiléia, na região de fronteira.

A situação chegou ao seu ápice quando os próprios servidores da delegacia optaram por fazer, por conta, intervenções dada a falta de estrutura. Tadeu pediu ao parlamento e público, que assistia a sessão nos salões, que não tratassem a situação como política; esse é seu papel como cidadão.

“De cada dez registros de ocorrência na região de fronteira — que contempla os municípios de Brasiléia, Epitaciolândia e Assis Brasil — sete são atendidas na delegacia de Brasiléia. Essa delegacia é essencial para toda a fronteira e a atual situação é de abandono. Nós não podemos permitir que isso aconteça”.

Tadeu informou que procurou a Polícia Civil, na pessoa do diretor José Henrique Maciel, que informou já existir um plano para essa intervenção, faltando apenas a parte orçamentária.

A PCAC divulgou nota pública sobre o caso após a publicação do jornal local O Alto Acre:

*NOTA PÚBLICA*

A direção geral da Polícia Civil do Acre (PCAC) vem a público prestar as informações e esclarecimentos acerca da matéria publicada no jornal on-line oaltoacre.com, por Alexandre Lima.

1. A assessoria de comunicação da Polícia Civil NÃO foi contactada para se manifestar ou prestar esclarecimentos, antecipadamente, acerca dos fatos narrados na matéria jornalística que faz referência à reforma do prédio da delegacia de Brasiléia.

2. Há um planejamento da gestão no tocante às reformas e ampliação das delegacias do Estado, em especial na de Brasileia, fato de conhecimento do delegado coordenador do Alto Acre e titular da citada delegacia, Dr. Erick.

3. Segundo o delegado coordenador e titular da delegacia, o que houve foi um mutirão espontâneo dos policiais e demais servidores, no sentido de uma limpeza e alguns reparos no prédio da delegacia, por ocasião do retorno dos equipamentos e do mobiliário, em razão da cheia ocorrida naquele município. E que o material utilizado nesse mutirão foi disponibilizado pela instituição.

4. Por fim, desde o início da alagação, no município, a direção acompanhou e se colocou à disposição da coordenação regional da Polícia Civil para prestar o apoio que fosse necessário.

José Henrique Maciel Ferreira
Delegado-Geral da PCAC

Últimas