14 julho 2024

Peruanos são presos após polícia descobrir laboratório de produção de cocaína na fronteira do Acre com Peru

Redação

Date:

Um juiz da Comarca Judicial de Pando determinou prisão preventiva na prisão de Villa Busch para duas pessoas, de nacionalidade peruana, por alegado tráfico de substâncias controladas em uma propriedade na área rural, efetivos antidrogas da Bolivia encontraram plantações de cocaína e uma fábrica de cocaína.

O procurador de departamentos de Pando, Marco Renato Peñaranda, informou que em audiência de medida cautelar – realizada na tarde deste domingo – o Ministério Público demonstrou com vários indícios que os réu Dionicio C.O.A. (33 anos) e Cristian D.O.A. (22) são provavelmente autores do tipo penal a ser investigado e a autoridade jurisdicional determinou a prisão preventiva por 45 dias, enquanto as investigações continuam.

“Durante a audiência cautelar foram oferecidos vários elementos que comprometem a participação dos acusados de nacionalidade peruana; como o relatório policial, o registro do local do fato, ato de apreensão, ato de sequestro de vários objetos, destruição e incineração dos objetos sequestrados e outras atuações”, disse Peñaranda.

De acordo com o relatório preliminar, a operação antidroga foi executada em 24 de fevereiro desta gestão, no município pandino da Filadélfia, nas imediações do Rio Manuripi, o Departamento de pando faz fronteira com o Peru e Acre.

Durante patrulhamento a pé no meio da floresta e outro pelo afluente, efetivos da Unidade Móvel de Patrulhamento Rural (Umopar) detectaram quantidade de plantações de coca, também vários locais onde a secagem da folha de coca foi feita em carpas de plástico.

Na sua vez, os uniformizados que realizavam operação de controle no rio Manuripi interceptaram um pequeno barco com duas pessoas a bordo, de nacionalidade peruana, alegadamente se dedicavam à pesca, porém, na exigência detectam plásticos de nylon cor preta com resíduos de coca moída e outros insumos.

Durante a intervenção e perante a pressão dos agentes antidroga, um dos estrangeiros revelou inicialmente que moiam a coca para uma fábrica de cocaína. Eles estão indo imediatamente para a área do ilícito.

No local encontram-se uma fábrica de cocaína, constituída por uma série de objetos e elementos: detectam 6 litros de ácido sulfúrico; reservatórios de água com capacidade para 1.000 litros cada um, no interior da qual estava em molho coca moída; 4 bidões com 240 litros de gasolina; 6 grandes carpas cor branca, azul e verde; 6 taças de 30 litros; 60 sacos de juta cor rosé vazios; 12 juta com 50 libras de folha de coca; 15 juta com 50 libras de coca moída e outros objetos.

O relatório preliminar da intervenção também refere que, após o registo de uma fábrica de fabrico de cocaína, nas imediações do Rio Manuripi, os precursores e os objetos foram incinerados e destruídos imediatamente.

Procede-se à apreensão de dois peruanos cuja identidade completa é mantida em reserva para fins investigativos. A Procuradoria e a Umopar continuam a recolher elementos maiores para identificar mais envolvidos neste caso.

Com informações O Alto Acre

Últimas