20 junho 2024

Deputados eleitos no Acre tomam posse neste 1º fevereiro na Assembleia Legislativa

Redação

Date:

Os 24 deputados estaduais eleitos no Acre tomam posse nesta quarta-feira (1º) na Assembleia Legislativa do Estado (Aleac). A cerimônia, marcada para começar 10h, vai ser conduzida pelo deputado Nicolau Júnior (Progressistas), último presidente da Casa e que foi reeleito.

O grupo foi diplomado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC) no dia 17 de dezembro do ano passado, junto com o governador eleito Gladson Cameli e a vice-governadora Mailza Gomes, os 8 federais e o senador da república, Alan Rick, do União Brasil.

Após a posse dos deputados, uma nova sessão deve ser convocada ainda nesta quarta para a eleição da mesa diretora e em seguida são encerrados os trabalhos.

Nesta legislação, 12 dos deputados eleitos já ocupavam uma vaga na Aleac. Assim, a taxa de renovação da Casa nas últimas eleições foi de 50%. Em 2022, as vagas foram disputadas por 359 candidatos, segundo dados disponibilizados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O número de mulheres eleitas para o poder legislativo acreano reduziu. Em 2018, foram quatro deputadas estaduais escolhidas nas eleições e no ano passado baixou para três, sendo duas reeleitas.

Um dos deputados eleitos foi Luiz Tchê (PDT), com 7.390 votos. Ele foi escolhido pelo governador Gladson Cameli para chefiar a Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio (Seprod) e o suplente Marcus Cavalcante (PDT) é que deve assumir sua cadeira na Aleac enquanto ele está como secretário.

Mas, como manobra para garantir o mandato, Tchê foi exonerado nessa terça-feira (31) para tomar posse como deputado nesta quarta (1º) na Aleac e, em seguida, deve apresentar um requerimento à mesa diretora pedindo o afastamento do mandato e seu suplente assume.

 

Deputados que serão empossados:

 

 

  • Nicolau Junior (Progressistas) – 16.636 votos (reeleito);
  • Maria Antônia (Progressistas) – 10.485 votos (reeleita);
  • Emerson Jarude (MDB) – 8.540 votos;
  • Manoel Moraes (Progressistas) – 8.479 votos (reeleito);
  • Gilberto Lira (União Brasil) – 8.407 votos;
  • Clodoaldo Rodrigues (Republicanos) – 8.227 votos;
  • André da Droga Vale (Podemos) – 8.157 votos (reeleito);
  • Pedro Longo (PDT) – 7.732 votos (reeleito);
  • Tchê (PDT) – 7.390 votos (reeleito);
  • Fagner Calegário (Podemos) – 7.112 votos (reeleito);
  • Luiz Gonzaga (PSDB) – 6.680 votos (reeleito);
  • Whendy Lima (União Brasil) – 6.673 votos (reeleito);
  • Tadeu Hassem (Republicanos) – 6.175 votos;
  • Adailton Cruz (PSB) – 6.157 votos;
  • Drª Michelle Melo (PDT) – 5.990 votos;
  • Edvaldo Magalhães (PCdoB) – 5.822 votos (reeleito);
  • Afonso Fernandes (PL) – 5.731 votos;
  • Antonia Sales (MDB) – 5.720 votos (reeleita);
  • Tanizio Sá (MDB) – 5.703 votos;
  • Chico Viga (PDT) – 5.601 votos (reeleito);
  • Gene Diniz (Republicanos) – 5.512 votos;
  • Arlenilson Cunha (PL) – 5.471 votos;
  • Pablo Bregense (PSD) – 5.386 votos;
  • Eduardo Ribeiro (PSD) – 4.810 votos. (G1)

Últimas