quarta-feira, agosto 10, 2022
26.3 C
Rio Branco
quarta-feira 10 agosto 2022

Brasileiro preso em Cobija sofre com espancamentos e família é extorquida

POR Redação

Um dos presos bolivianos está exigindo que uma das irmãs de Edimar tenha relações sexuais com ele. Como a mulher, que é casada, disse não, ele foi espancado

A família de brasileiro Edimar da Silva, preso no presídio de Villa Bush, perto de Cobija, na Bolívia, pede socorro às autoridades dos dois países para acabar com a repetida extorsão contra o detento e sua família, recolhido desde outubro de 2021 em uma das celas desta que é considerada uma das piores prisões daquele país.

A última barbaridade foi a exigência dos presos bolivianos de que uma das irmãs do detento tenha relações sexuais com o líder do pavilhão. Como ela disse não, está recebendo fotografias do irmão todo machucado de pancadas.

Edimar Sabedra da Silva foi preso em Cobija, em outubro passado. Ele furtou fios de cobre da rede elétrica na cidade, mas, segundo a mãe, os policiais bolivianos colocaram no boletim de ocorrência o crime de tentativa de homicídio.

O sofrimento da família começou quando ele foi levado para o presidio Villa Busch. Outra irmã do preso, Sebastiana Sabedra, conta e mostra um vídeo que comprova que, logo no início, Edimar ficou 25 dias em uma pequena cela chamada de corretivo.

Depois que foi para junto dos outros presos começou uma série de extorsões, tanto da polícia boliviana, quanto dos outros presos. “Começamos a receber ligações telefônicas em que os detentos bolivianos obrigavam meu irmão a pedir dinheiro”, reclamou.

A mãe do preso, a Maria de Fátima, não para de chorar. Ela gasta todo o dinheiro da aposentadoria e das faxinas que faz com as extorsões quem vêm do presídio. A aposentada também se tornou uma prisioneira. Antes ela levava uma feira toda semana para o filho, mas descobriu que ele não recebia nada. Agora ela paga pelas refeições. Existe uma pensão dentro do complexo, onde Edimar pode comer graças à aposentadoria da mãe.

Dona Sebastiana também já gastou mais de R$ 1 mil para atender o que detentos exigem, e quando o dinheiro demora a chegar, o irmão é violentamente espancado. A polícia boliviana também espanca o preso brasileiro, que precisou receber atendimento médico. Depois que chegou a Villa Bush, ele perdeu um dente, teve uma costela fraturada e vive com o rosto inchado de tanto apanhar. Laudo do médico boliviano mostra que Edimar está com anemia crônica devido as hemorragias. A mãe tem medo de que o filho morra dentro do presídio.

Agora o ápice das exigências aconteceu no mês passado. Após a visita da família, um dos presos bolivianos está exigindo que uma das irmãs de Edimar tenha relações sexuais com ele. Como a mulher, que é casada, disse não, ele foi espancado e as imagens enviadas para o celular dela.

Com medo de acontecer o pior com o filho, a mãe já foi ao consulado boliviano, mas não conseguiu nada. Falou com autoridades de Cobija, mas as agressões continuam e o atendimento médico ao filho é deficitário. O sonho da genitora é ver o filho cumprindo pena no Brasil ou, ao menos que a situação degradante cesse.

Se não conseguir mudar essa situação, a família, que mora em Brasileia, pretende fazer um grande protesto e a primeira medida será o fechamento da fronteira para chamar a atenção das autoridades dos dois países.

Com informações A Tribuna

COLUNISTAS

128 POSTS0 COMENTÁRIOS
38 POSTS0 COMENTÁRIOS
4 POSTS0 COMENTÁRIOS
2 POSTS0 COMENTÁRIOS
- Advertisement -spot_img