segunda-feira, maio 16, 2022
24.3 C
Rio Branco
segunda-feira 16 maio 2022

Após matança na fronteira, força-tarefa da segurança deve permanecer 15 dias na região

POR Ac24horas

A força-tarefa do Sistema Integrado de Segurança Pública (SISP) enviado aos municípios de Brasiléia e Epitaciolândia nesta terça-feira (5) após as duas cidades registrarem 10 assassinatos com características de execução em menos de um mês deve permanecer na região por cerca de 15 dias, inicialmente.

A informação é do diretor operacional da Secretaria de Justiça e Segurança Pública do Acre (Sejusp), coronel Ulysses Araújo. Segundo ele, o trabalho integrado pode ter esse prazo prorrogado por mais 15 dias caso seja necessário até que a população dos dois municípios tenha de volta o clima de tranquilidade.

“Nós vamos fazer uma nova avaliação para saber da necessidade de mais 15 dias até que a gente tenha a normalidade aqui na região do Alto Acre. Nós não podemos permitir de maneira alguma que a violência aumente e a população fique à mercê de criminosos, especialmente de organizações criminosas”, afirmou.

Ulysses também relatou que o mesmo trabalho está sendo feito em outras cidades estratégicas no que diz respeito à segurança no estado, além de Rio Branco, como Cruzeiro do Sul, Sena Madureira e Senador Guiomard, onde inclusive, as forças de segurança fizeram prisões e apreensões de armas nesta terça-feira.

A reportagem conversou com o delegado Luis Tonini, que está à frente da Polícia Civil na regional do Alto Acre. Ele disse que todos os mortos nos ataques que ocorreram na madrugada de terça-feira na cidade possuíam envolvimento com o crime – uns mais e outros menos, mas todos inseridos no contexto da criminalidade.

“Todos esses que foram mortos têm envolvimento com o crime organizado. Eles são integrantes, inclusive, alguns com passagem por tentativa de homicídio. No entanto, dois deles são apenas ‘noiados’, o que a gente chama de ‘colados’, que se enveredaram pelo mundo do crime”, disse o delegado.

Para Tonini não resta qualquer dúvida de que a série de crimes que ocorreram na região nas últimas quatro semanas são decorrentes de confrontos entre grupos organizados que atuam na região. O delegado já disse em outra oportunidade que a situação de fronteira aberta nas duas cidades contribui com a criminalidade.

Desde março, já são 10 as ocorrências de crime de homicídio registradas na fronteira acreana com a Bolívia. Se for considerada uma execução ocorrida na semana passada em Cobija, capital do departamento de Pando, o total de assassinatos praticados com as mesmas características sobe para 11 na região.

De acordo com nota da Secretaria de Justiça e Segurança Pública do Acre (Sejusp), a operação nos dois municípios brasileiros foi deliberada durante reunião ocorrida nesta segunda-feira (4), envolvendo todas as forças policiais do Acre e conduzida pelo secretário Paulo Cézar Rocha dos Santos.

A força-tarefa compreende integrantes da Polícia Civil (PC), Polícia Militar (PMAC), Grupo Especial de Fronteira (Gefron), Instituto de Administração Penitenciária (IAPEN) e o Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), sob a coordenação do diretor operacional da Sejusp, coronel Ulysses Araújo.

A mobilização, que também conta com o apoio do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Acre, ocorreu sob o impacto de mais quatro assassinatos e de uma tentativa de homicídio registrados na madrugada desta última terça-feira.

Madrugada de Terror

Apenas em um dos episódios, em uma casa, no bairro Leonardo Barbosa, em Brasiléia, que foi invadida por criminosos fortemente armados, três homens foram executados a tiros. Cerca de 10 indivíduos invadiram a residência e dispararam aproximadamente 30 vezes contra as vítimas.

Os mortos foram identificados como Lucas Bandeira Barbosa, de 23 anos, André Gustavo Sales de Oliveira, de 16 anos, e Wanderson Souza e Silva, sem idade informada.

Horas depois, mais um assassinato a tiros foi registrado no bairro Nazaré, por volta das 5h45 da madrugada, também em Brasiléia. A vítima morreu após ser atendida por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Outro registro de tentativa de homicídio, deixando um ferido, aconteceu também no bairro Leonardo Barbosa, que se localiza em uma região de risco de Brasiléia no que diz respeito à atuação do crime organizado. A vítima foi resgatada com vida e levada ao Hospital Regional do Alto Acre.

COLUNISTAS

128 POSTS0 COMENTÁRIOS
38 POSTS0 COMENTÁRIOS
4 POSTS0 COMENTÁRIOS
2 POSTS0 COMENTÁRIOS
- Advertisement -spot_img