terça-feira, novembro 30, 2021
24.3 C
Rio Branco
terça-feira 30 novembro 2021

COMPREENDENDO O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR

POR .

Você, caro leitor do Folha do Acre já parou para refletir sobre seu comportamento enquanto consumidor? Sabe quais os efeitos que podem influenciá-lo como consumidor? Já imaginou o motivo pelo qual você tem diversos comportamentos diante de algo que deseja? Pois bem, neste artigo iremos abordar sobre o comportamento do consumidor. A ideia é que você possa compreender de que forma nos comportamos quando estamos gastando.

Nosso comportamento enquanto pessoa muda de acordo com o dia, tem dias em que estamos mais alegres, tem dias que estamos um pouco triste, mas isso interfere em nosso comportamento enquanto consumidor? O que você acha?

Normalmente, gastamos mais quando estamos tristes, ao fazermos compras nosso ânimo melhora, porém nosso orçamento, dependendo da situação em que estejamos, pode ficar em xeque. Têm pessoas mais equilibradas que só gastam o necessário e quando podem gastar, têm os consumidores compulsivos, os que não podem ficar sem gastar, vai comprando tudo o que ver pela frente sem se preocupar se terá condições de pagar, esses são os mais críticos.

Tirando os fatores psicológicos, podemos nos perguntar: qual a melhor escolha entre bens e serviços (mercadorias), que um consumidor com renda (salário) limitada pode fazer? Essa é uma questão de grande importância para economia, mais especificamente para a microeconomia, que é um dos ramos da economia que trata do comportamento das unidades econômicas individuais (consumidores, trabalhadores, investidores, proprietários de terra, empresas, ou seja, quaisquer indivíduos ou entidades que tenham participação no funcionamento da economia).

Para Pindyck e Rubinfeld (2002), o comportamento do consumidor é mais bem compreendido quando examinado em três etapas: 1) preferência do consumidor; 2) restrições orçamentárias; e, 3) escolha do consumidor. Tentaremos explanar sobre as etapas de forma que o leitor do Folha do Acre possa se identificar e compreender como essas relações contribuem ou se realizam na economia no dia a dia.

A primeira etapa a qual se refere Pindyck e Rubinfeld, trata-se da preferência do consumidor, consiste em identificar uma forma de descrever por que os consumidores escolhem uma mercadoria “A” ao invés de uma mercadoria “B” ou uma mercadoria “C”. Ou então, por que em alguns casos, o consumidor escolhe uma quantidade de mercadoria “A” (alimento) menor que uma quantidade de mercadoria “B” (vestuário), porém gasta mais com uma mercadoria “C” (diversão/lazer).

Portando, a primeira etapa do comportamento do consumidor é a preferência, todos temos preferência por algum bem ou serviço que é oferecido por uma empresa, com certeza você tem o seu supermercado preferido, sua loja preferida, sua farmácia preferida, sua padaria preferida, seu posto de gasolina preferido, enfim, teremos as empresas na qual por algum motivo teremos nossa preferência, assim como também temos as preferências por determinado produto ou serviço. No próximo artigo abordaremos a segunda etapa do comportamento do consumidor no qual falaremos sobre as restrições orçamentárias.

COLUNISTAS

128 POSTS0 COMENTÁRIOS
38 POSTS0 COMENTÁRIOS
4 POSTS0 COMENTÁRIOS
2 POSTS0 COMENTÁRIOS
- Advertisement -spot_img