segunda-feira, agosto 2, 2021
20.3 C
Rio Branco
segunda-feira 02 agosto 2021

Vereadora de Feijó, esposo e filha são presos por reter cartões e benefícios de indígenas

POR

A vereadora de Feijó, Aurelina Portela (PP), seu o esposo, a filha, além de outro comerciante foram presos ontem na operação da Polícia Federal TOTOMIDE, que buscava reprimir práticas delituosas contra indígenas da etnia KULINA.

A vereadora e a família foram transferidos para o presídio de Cruzeiro do Sul. Eles integravam um esquema acusado de apropriação indébita, furto mediante fraude e pelo art. 104 do Estatuto do Idoso, que prevê ser crime a retenção de cartões de idosos para assegurar pagamento de dívida.

Eles executavam a prática comum na região e muitas vezes denunciada de reter cartões bancários e de benefícios dos indígenas, por vezes até a identidade, para fornecer mantimentos e garantir a fidelidade da compra e a certeza do pagamento.

O nome da operação, Totomide, significa sanguessuga na língua indígena Madijá, que é a da comunidade Kulina. Faz referência aos comerciantes, denominados patrões pelos indígenas, que se apropriam dos cartões e benefícios previdenciários destes povos do Alto Envira.

A Tribuna

COLUNISTAS

128 POSTS0 COMENTÁRIOS
38 POSTS0 COMENTÁRIOS
4 POSTS0 COMENTÁRIOS
2 POSTS0 COMENTÁRIOS
- Advertisement -spot_img