Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Cotidiano

Acre sai do alerta crítico em ocupação de UTIs, mas Fiocruz alerta: “nova explosão de casos pode ser catastrófica”

Publicado

on

A Fiocruz removeu o Acre do mapa de alerta crítico da ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensivas (UTIs) de Covid-19 para adultos. As taxas de ocupação de UTIs no SUS, entre os dias 3 e 10 de maio, apresentaram quedas relevantes na Região Norte e, além do Acre, o Amazonas também deixa a zona de alerta.

Assim, o Acre entrou na zona de alerta ´baixo´ para ocupação de UTIs, uma situação bem melhor que há dois meses, quando pacientes eram transferidos devido à falta de leitos nos hospitais do Estado.

Além de Rio Branco, com 58% de ocupação, três capitais estão também fora da zona de alerta: Manaus (55%), Boa Vista (37%) e João Pessoa (49%).

Sete estados encontram-se com taxas de ocupação iguais ou superiores a 90%: Piauí (90%), Ceará (90%), Rio Grande do Norte (95%), Pernambuco (96%), Sergipe (97%), Paraná (93%) e Santa Catarina (91%). Seis estados e o Distrito Federal apresentam taxas de ocupação de leitos de UTI Covid-19 para adultos entre 80% e 89%: Rondônia (88%), Tocantins (81%), Bahia (80%), Rio de Janeiro (87%), Mato Grosso do Sul (85%), Goiás (84%) e Distrito Federal (81%).

Nove estados estão na zona de alerta intermediário (≥60% e <80%): Pará (69%), Amapá (72%), Maranhão (67%), Alagoas (74%), Minas Gerais (79%), Espírito Santo (77%), São Paulo (79%), Rio Grande do Sul (73%) e Mato Grosso (79%). Quatro estados estão fora da zona de alerta: Acre (57%), Amazonas (55%), Roraima (37%) e Paraíba (59%).

Sete capitais estão com taxas de ocupação de leitos de UTI Covid-19 iguais ou superiores a 90%: Porto Velho (92%), Teresina (96%), Natal (92%), Aracajú (99%), Rio de Janeiro (93%), Curitiba Leitos de UTI para Covid-19 (92%) e Goiânia (92%).

Seis capitais estão com taxas superiores a 80% e inferiores a 90%: Palmas (89%), São Luís (85%), Fortaleza (88%), Vitória (88%), Campo Grande (82%) e Brasília (81%). Dez capitais estão na zona de alerta intermediário, com taxas iguais ou superiores a 60% e inferiores a 80%: Belém (65%, Macapá (78%), Recife (79%), Maceió (73%), Salvador (74%), Belo Horizonte (75%), São Paulo (77%), Florianópolis (68%), Porto Alegre (64%) e Cuiabá (66%).

A Fiocruz recomenda cautela total com a perspectiva de redução dos casos em várias regiões do País. “Uma nova explosão de casos de Covid-19 a partir do patamar epidêmico atual, que permanece elevado, será catastrófico”, alerta a Fiocruz.

Ac24horas

Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas