Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Destaque

Acre tem um dos menores índices de vacinação contra Covid; Estado e prefeituras divergem sobre dados

Redação Folha do Acre

Publicado

on

Estado já recebeu mais de 174 mil doses, mas quase 84 mil doses ainda não foram aplicadas pelas prefeituras. Diferença seria problema de inserção dos dados no sistema do Ministério da Saúde.

O Acre segue com um dos índices mais baixos de vacinação contra a Covid-19 no país. Das mais de 174 mil doses recebidas, quase 84 mil doses ainda não teriam sido aplicadas pelas prefeituras. O governo chegou a cobrar os gestores para que essas doses fossem aplicadas o mais rápido possível.

Os dados fazem parte de um levantamento do Programa Nacional de Imunização. Em entrevista à Rede Amazônica Acre nesta segunda-feira (12), a coordenadora do PNI, Renata Quiles, explicou que as equipes têm visitado os municípios para ajudar nas dificuldades enfrentadas durante o processo de imunização. Segundo ela, não existem doses de vacina sobrando e que há, na verdade, um problema de inserção dos dados no sistema.

“Em primeiro lugar, o estado, a central estadual da rede de frios, não possui estoque de vacina. O único estoque que temos aqui são as doses dos indígenas, que não foram autorizadas para empréstimo, existe um estoque de segunda dose aguardando para ser disponibilizado para os municípios no tempo coreto. Não é essa situação, todas as segundas doses que recebemos estão de posse dos municípios. Nem sempre o número representa a realidade”, explicou.

Segundo dados do PNI, o Acre recebeu, até esta segunda, 174.790 doses para imunização contra a Covid-19, sendo 113.100 para a 1ª aplicação e 61.690 para a 2ª dose. Desse total, apenas 83.717 teriam sido aplicadas.

Renata acrescentou que nessas visitas, as equipes do PNI orientam e e ajudam os municípios a inserir toda documentação no sistema para que os números sejam logo contabilizados pelo Ministério da Saúde. Porém, há localidades que sofrem com falta de internet e até de pessoal para digitalizar os dados.

“Tem municípios que estão com os números ruins no papel porque tem grupo de ribeirinho e indígenas para vacinar. Não são pessoas que moram próximo da unidade de saúde, então precisam de deslocamento. Existem sim no papel 84 mil doses para serem realizadas ou apenas para serem registradas no sistema? Isso que queremos entender nas visitas aos municípios. Identificamos algumas fragilidades e na mesma hora oferecemos nossa ajuda”, reforçou.

Rio Branco

Com maior número de habitantes, a capital acreana já recebeu 43.309 doses e aplicou 35.540 desse total. Com isso, ainda haveria 7.769 doses a ser aplicadas na população acreana. Porém, a Secretaria de Saúde Municipal afirmou, nesta segunda-feira, que só teria 400 doses do último lote recebido do estado.

Também em entrevista à Rede Amazônica Acre, o secretário de Saúde de Rio Branco, Frank Lima, falou sobre a diferença nos dados. Ele afirmou que todas as vacinas recebidas pelas equipes já foram aplicadas.

“Vi nesse final de semana que há 85 mil doses em estoque e que o governo vai fazer uma força-tarefa, quero dizer uma coisa para o pessoal do PNI e o governo, que dê essas doses para Rio Branco. Todas as vacinas que recebemos já aplicamos e, se realmente tiver vacina no estoque, que dê para Rio Branco que vamos oportunizar mais idosos e, com certeza, com essa quantidade de vacina vamos entrar nas comorbidades também”, afirmou.

Sobras

Outra questão abordada pela coordenadora do PNI foi sobre as sobras de vacina. Segundo ela, cada frasco da vacina da Fiocruz contém cinco doses e a do Instituto Butantan, a CoronaVac, tem dez doses. Após abrir o frasco, as equipes de saúde têm de seis a oito horas para aplicar todas as doses.

Caso não sejam aplicadas, as doses se estragam. Para que isso não aconteça, o PNI orienta que os municípios tenham um pré-cadastro de outros público aprovados pelo Ministério da Saúde.

“Posso sim fazer a vacinação de um professor, de pessoas que tenham hipertensão porque está prevista no plano de vacinação, mas isso não deve ser rotina, é uma medida emergencial onde eu prefiro vacinar três pessoas que não estavam previstas agora do que jogar essas doses no lixo. Não há relato disso, de que foi preciso jogar a dose no lixo, mas temos pedido que os municípios trabalhem com responsabilidade, com pré-cadastro para priorizar essas doses. Até então, temos dito relatos de que isso é feito de forma responsável, não há nenhuma informação de que houve necessidade de jogar dose no lixo ou de vacinar”, reforçou.

Covid-19 no Acre

Pelo segundo dia seguido, não há pacientes na fila de espera por um leito de UTI Covid no Acre, mas o estado registrou nas últimas 24 horas mais 10 mortes, assim o número de vítima pela doença subiu para 1.353, segundo dados da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre). Com relação ao número de casos, foram 188 novos, assim os registros saltaram de 73.425 para 73.613.

Dos 106 leitos de UTI nos hospitais da rede SUS disponibilizados no estado, 97 estão ocupados. A taxa de ocupação total está em 92%. Os leitos de UTI estão concentrados na capital, com 80 vagas, e Cruzeiro do Sul, com 26.

G1

 

Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas