Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Política

Ministério Público recebe denúncia sobre valor do aluguel da Câmara de Rio Branco

Redação Folha do Acre

Publicado

on

Casa paga dois aluguéis com um custo mensal de R$ 86 mil

A mudança da sede da Câmara de Vereadores de Rio Branco foi parar no Ministério Público do Estado do Acre (MPAC). Atualmente, é pago R$ 53 mil de aluguel.

A ouvidoria do MPAC recebeu vários documentos denunciando o excesso, por parte da mesa diretora, sobre o valor do aluguel do imóvel localizado no bairro Seis de Agosto. O novo prédio está sendo preparado para, em maio, já receber os funcionários e vereadores.

Em janeiro deste ano, o presidente N. Lima, do MDB, anunciou que tinha encontrado um novo imóvel por R$ 33 mil, um valor bem abaixo. Acontece que, segundo a reclamação, o prédio novo tem instalações mínimas para o bom funcionamento do parlamento. Faltou de espaço até a administração da casa.

A denúncia se baseia na estrutura de cada imóvel. No prédio atual, por exemplo, o estacionamento cabe todos os veículos dos vereadores, funcionários e também dos visitantes. Já no novo local, o estacionamento é tão pequeno, que mal cabem os carros dos vereadores.

A saída encontrada pela mesa diretora foi alugar um terreno que fica a 200 metros do prédio para servir de estacionamento. Para o Ministério Público, o denunciante chegou a afirmar que em menos de 30 dias foi feito todo o processo de locação. Por isso, quer uma investigação comparando o tamanho de cada imóvel, as instalações, a localização, acessibilidade de sinalização e segurança.

Além disso, tem o gasto para adaptação do novo prédio, que segundo a denúncia, serão gastos R$ 400 mil só para montar o plenário. E ainda tem o custo com a instalação elétrica de computação.

Para o presidente da mesa diretora, vereador N. Lima, no final do contrato, a economia que será feita com a redução do valor do aluguel valerá a pena, e todas essas informações serão repassadas ao Ministério Público.

“O prédio que eu estou alugando é a metade do valor deste aqui. Então, eu não tenho problema nenhum de explicar para todo mundo. Tenho todos os documentos aqui e que fique bem claro que o contrato atual acabou”, afirmou N. Lima.

Quando decidiram mudar a locação do prédio, havia informação de que o novo imóvel abrigaria também os gabinetes dos vereadores. Já se sabe que isso será impossível. Cada parlamentar vai continuar recebendo R$ 1.600,00 por mês para alugar um escritório.

E enquanto não ocorre a mudança de casa, a Câmara paga dois aluguéis. Do prédio atual e do futuro. Um custo mensal de R$ 86 mil por quatro meses.

Fonte: agazeta.net

Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas