Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Política

Agentes de saúde repudiam Bocalom por dizer que categoria não trabalhava na gestão de Socorro Neri

Redação Folha do Acre

Publicado

on

O prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom (PP), tem com uma de suas características dar declarações polêmicas sobre temas da política e gestão pública. Desta vez não foi diferente: o prefeito progressista afirmou que os agentes comunitários de saúde não saíam às ruas para trabalhar na gestão da prefeita Socorro Neri.

Em entrevista ao jornalista Itaan Arruda, da TV Gazeta, Bocalom afirmou que os agentes comunitários de saúde estavam há dois anos sem ir para as ruas para fazerem seus trabalhos.

“Os agentes comunitários de saúde há dois anos não iam pra rua para fazer o seu trabalho, agora estão indo”, disse o prefeito.

O Sindicato dos Servidores Municipais de Rio Branco (SSEMRB) e o Sindicato dos Agentes de Saúde e Endemias (SINDACS) repudiaram a declaração de Bocalom.

Confia a nota:

NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Servidores Municipais de Rio Branco – SSEMRB, e o Sindicato dos Agentes de Saúde e Endemias – SINDACS, vêm a público REPÚDIAR as palavras do Prefeito desta Capital, o senhor Tião Bocalom, que em entrevista concedida a TV Gazeta, afirmou que os agentes comunitários de saúde há dois anos não exerciam suas atividades nas ruas.

Como é de conhecimento de toda comunidade riobranquense, os Agentes Comunitários de Saúde desempenham um grande papel social, atuando desde os bairros da cidade mais distantes e desassistidos pelo Poder Público, até os confins da zona rural, aonde – por vezes, são o único elo entre o cidadão e os serviços de saúde.

Durante a pandemia causada pelo Coronavírus, os agentes comunitários de saúde se revelaram verdadeiros heróis, combatendo a doença mais letal enfrentada pela humanidade nos últimos 100 anos, tendo recebido, inclusive, o reconhecimento do próprio município de Rio Branco, com a majoração do adicional de insalubridade.

Contudo, a presença de uma parcela dos agentes comunitários de saúde nos Postos de Saúde ocorre, não por vontade do próprio servidor, mas sim por uma decisão de gestão, a fim de cobrir a falta de funcionários do Quadro para atender a população, razão pela qual o equívoco do Chefe do Poder Executivo Municipal não apenas desrespeitou gravemente estes servidores, merecendo o devido reparo, como também omitiu a verdade quanto as deficiências da estrutura da Secretaria Municipal de Saúde.

Nesse sentido, requeremos que o Prefeito Tião Bocalom tenha a grandeza de se retratar publicamente com os agentes comunitários de saúde, restabelecendo a boa relação com esta categoria que há muitos anos coopera com as políticas públicas de saúde e assistência social do Município de Rio Branco.

Att.,

José Augusto P. da Silveira
Presidente do SSEMRB

Márcia Jucá
Presidente do SINDACS

Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas