Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Polícia

Ministério da Justiça autoriza uso da Força Nacional para bloquear entrada de estrangeiros no Acre

Redação Folha do Acre

Publicado

on

Uma portaria do Ministério da Justiça e Segurança Pública, publicada nesta quinta-feira (18), autoriza o emprego da Força Nacional no Acre, no apoio às forças policiais no estado. A autorização é válida por 60 dias e pode ser prorrogada.

A portaria estabelece que as Forças Nacionais para auxiliar “nas atividades de bloqueio excepcional e temporário de entrada no País de estrangeiros, em caráter episódico e planejado”.

A autorização se segue ao aumento da tensão na cidade acreana de Assis Brasil, onde imigrantes, em sua maioria haitianos, tentam atravessar para o Peru, cujas fronteiras estão fechadas por causa da pandemia do novo coronavírus (leia mais abaixo).

‘Caos social’

O prefeito de Assis Brasil, Jerry Correia, disse que a chegada da Força Nacional é um reforço não só na Segurança, mas também na questão de atendimento aos imigrantes.

De acordo com ele, atualmente há 270 imigrantes nos abrigos e mais 150 acampados na ponte, além dos que estão nas ruas da cidade. Ele diz ainda que a preocupação é mais sobre a saúde pública devido à proliferação do coronavírus.

Uma haitiana de 30 anos está no Hospital do Alto Acre, em Brasileia, entubada devido à gravidade do quadro de Covid. Cinco pessoas da equipe de assistência social que atendem os imigrantes estão afastado porque também estão com Covid.

“É muita gente na cidade e os imigrantes não usam máscara. O governo vai ajudar na testagem, mas o problema não é a quantidade de testes, porque estamos com dois abrigos, não temos mais espaço físico e precisamos ter um plano de testagem, precisamos pensar em uma nova estrutura para ser montada e receber os que testarem positivo”, disse.

Assis Brasil é a cidade com a maior taxa de contaminação a da Covid-19 no Acre. De acordo com o boletim da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) da quarta-feira (17), são 1.376 casos para cada 10 mil habitantes na cidade. Em todo o município, há 1.037 casos confirmados e 12 mortos.

Correia fala ainda que espera que o governo federal ajude na montagem dessas estruturas.

“As Forças Armadas têm condições estruturais e pessoal pra fazer essa estrutura rápida, o que Assis Brasil precisa hoje é que o governo federal monte uma estrutura grande aqui, uma estrutura suficiente para atender essas pessoas dentro do contexto da pandemia. Assis Brasil não deu ainda essa estrutura porque é uma preocupação de saúde pública com a população. Não é só questão de receber os imigrantes, mas temos uma população que está apreensiva e com medo de ter uma tragédia no que diz respeito a saúde pública e só o governo federal tem como montar um verdadeiro campo de refugiados aqui. É um caos social”, disse.

Na terça-feira (16), o governador do Acre, Gladson Cameli, decretou situação de emergência no estado – além da questão migratória em Assis Brasil, o Acre enfrenta surto de dengue, cheias nos rios e falta de leitos de UTI para tratamento de pacientes de Covid-19. Na quarta (17), o governo também instalou um gabinete temporário de crise, capitaneado pela Secretaria de Estado da Casa Civil, para gerenciar a situação no estado.

G1

Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas