Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Cotidiano

No Acre, portaria dispensa licença ambiental para empreendedores de mais de 20 segmentos

Redação Folha do Acre

Publicado

on

Construção ou manutenção de quadras poliesportivas e empreendedores e pequenos empresários do Acre não vão precisar mais emitir a licença ambiental de alguns segmentos. O Instituto de Meio Ambiente (Imac) publicou uma portaria normativa que dispensa o documento para os inscritos na Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim) para facilitar a abertura de mais negócios e geração de empregos.

Todos os segmentos selecionados no Acre são de baixo impacto ambiental, segundo o Imac.

Na publicação, feita nessa sexta-feira (12) no Diário Oficial do Acre (DOE), o Imac destaca que os empreendedores ainda precisam cumprir a legislação ambiental estabelecida pelo Sistema Nacional de Meio Ambiente. Além disso, não será admitido o fracionamento, em etapas ou serviços, de obras sujeitas a licenciamento ambiental com a finalidade de obtenção de certidão de dispensa de licenciamento.

Ao G1, o presidente do Imac, André Hassem, disse que a medida compõe a lei da liberdade econômica, que entrou em vigor no final de 2019. As novas regras foram criadas para reduzir a burocracia nas atividades econômicas.

“Era um sonho dos empresários da rede simples. Essa lei foi aprovada nacionalmente e agora fizemos as análises do que poderia implementar e lançamos juntamente com a Redesim do estado. São empresários que não precisam de ter uma empresa grande, trabalham com confecções, com o Sebrae em vários empreendimentos”, explicou.

A lista completa das atividades isentas da licença pode ser conferida na página 36 do DOE. Entre elas estão:

Comércio de equipamentos e artigos de uso doméstico;
Comércio varejista de produtos de perfumaria e cosméticos;
Comércio de peças e acessórios para veículos automotores;
Transporte rodoviário urbano e interurbano de passageiros;
Serviços de conservação, manutenção, restauração e melhoria de rodovias e vias municipais pavimentadas;
Estacionamento de veículos;
Instalação e manutenção de rede elétrica e telefônica em área urbana;
Construção ou manutenção de quadras poliesportivas;
Construção ou manutenção de muros;
Construção ou manutenção de praças públicas;
Outros.
“Com isso, você diminui a burocracia e o Estado vem com o desenvolvimento e crescimento. São licenças pequenas. Como é lei nacional, temos que nos adaptar e quem ganha com isso é a Redesim do estado”, frisou.

O presidência do Imac não soube detalhar quantos pequenos empresários e empreendedores devem ser beneficiados no estado, mas afirmou que é um grande número.

G1

 

Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas