Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Polícia

Polícia acreana apreende 95 cabecas de gado transportadas com Guia de Transporte de Animais falsificada

Avatar

Publicado

on

Em ação conjunta da Policia Civil por meio do Grupo de Enfrentamento a Crimes Contra a Ordem Tributária (GECOT) em parceria com o Instituto de Defesa Animal e Florestal( IDAF) e Secretaria de Estado da Fazenda (SEFAZ) prendeu, na noite da última quinta-feira, 05, no Posto Fiscal Tucandeira flagrante o nacional C.E.S.C. motorista de caminhão que transportava uma carga de 95 (noventa e cinco) bezerros que estavam saindo do Acre com destino ao Estado de São Paulo.

Segundo ficou comprovado o gado é de origem do Acre e estava saindo com Guia de Transporte Animal (GTA) do Estado do Amazonas, com fim específico de fraudar a fiscalização tributária.

O GTA é o documento obrigatório para atividade de transporte de animal e todas as informações acerca da origem e destino dos animais devem constar o documento.

O motorista da carreta foi flagranteado pelos crimes uso de documento falso, fraudar a fiscalização tributária e associação criminosa.

De acordo com o coordenador da operação, Delegado Pedro Resende, a carga de gado está avaliada em R$ 230.000,00 (duzentos e trinta mil reais) e o imposto devido é de R$ 25.00,00 (vinte e cinco mil reais).

“Essa prática criminosa de tentar bular a fiscalização tributária está sendo combatida de maneira firma pela Polícia Civil em parceiria com a SEFAZ e o IDAF e não daremos trégua aqueles que tentarem contra o fisco. As investigações irão continuar e mais pessoas deverão ser presas pelo mesmo crimes, ressaltou Pedro Resende.

O trabalho integrado doa órgãos fiscalizadores tem gerado resultado positivo na avaliação do chefe da Divisão de Mercadorias da Sefaz, Mauro Ferreira.

“Essa parceria com Policia Civil é de fundamental importância para que consigamos combater de maneira mais eficaz os crimes contra a ordem tributária. Os resultados das operações que ja foram executadas o resultado tem sido positivo”, ressaltou Mauro.

O diretor presidente do IDAF, Francisco Tum, falou da fraude cometida.

“Esse processo de retirada de GTA deve constar informações as quais deverão ser seguidas de maneira invariável com relação a destino do animal e nesse caso a GTA estava para um local no estado do Amazonas e o gado seguia com destino a São Paulo o que caracterizou crime”, finalizou Francisco.

Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas