Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Política

Governador Gladson Cameli presta contas à população sobre gastos no combate à Covid-19

Avatar

Publicado

on

Saiba como o governo Gladson Cameli vem utilizando os recursos de mais de R$ 170 milhões, destinados em 2020 pelo governo federal, por meio do Programa Federativo de Enfrentamento ao Novo Coronavírus

Em meio à avalanche de contaminações e mortes em razão da pandemia de Covid-19 pelo país, e enquanto escândalos afloram em outros estados com contratos investigados pelas polícias Federal, Civil e pelo Ministério Público dos estados, o governo do Estado do Acre, se fosse uma pessoa física poderia bater no peito sem objeção, bradando a seguinte frase: “A minha consciência está tranquila, pois todas as nossas contas estão sendo administradas com retidão, austeridade, em obediência à lei e com respeito às pessoas”.

Enquanto chega a quase R$ 1,5 bilhão o valor dos contratos em suspeição pelos órgãos de investigação em vários estados, no Acre o governador Gladson Cameli enfrenta uma das fases mais difíceis da História caminhando com lisura, seriedade e determinação, sobretudo quando o assunto são contas públicas, inclusive as destinadas ao enfrentamento da pandemia.

O governo não enfrenta ações judiciais nem qualquer tipo de procedimento investigatório por suspeitas de fraudes. Não tememos nada que desabone as nossas contas, porque tudo está sendo feito de acordo com a legislação e aos olhos dos órgãos fiscalizadores”, ressalta o titular da pasta da Fazenda (Sefaz) do Acre, Rômulo Grandidier.

“Com honestidade e seriedade, o Acre figura entre os estados brasileiros que não registraram casos de corrupção na aplicação dos recursos específicos destinados ao combate à Covid-19”, lembra o secretário de Saúde, Alysson Bestene.

Para que não pairem dúvidas, os demonstrativos da Sefaz a respeito das ações da Covid-19 no Acre estão sendo abertos publicamente nesta reportagem. O objetivo é cumprir o papel de informar sobre o gerenciamento dos recursos para a aquisição de insumos destinados ao enfrentamento da pandemia no estado.

Antes de perscrutar os números, porém, é preciso entender que as receitas arrecadadas e as receitas pagas são originárias de Fonte 900, com base na lei complementar nº 173, de 27 de maio de 2020, que estabelece o Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus Covid-19, alterando a lei complementar nº 101, de 4 de maio de 2000. O dispositivo foi sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Os balanços mostram que, em 2020, o governo do Acre recebeu ao menos R$ 172.824.390,81 de Fonte 900, e nenhum centavo a mais agora em 2021. O montante de pouco mais de R$ 170 milhões é classificado como receita arrecadada.

Já nos demonstrativos de despesas pagas, o fluxo fica do seguinte modo: o governo destinou para pagamento de pessoal e encargos sociais na Saúde R$ 43.832.745,01, em 2020, e até o presente momento outros R$ 3.667.401,4 com a mesma finalidade.

Portanto, com salários e tributos gerados pela contratação de funcionários, o governo do Estado gastou exatamente R$ 47.500.146,49 do montante de R$ 172.824.390,81.

A ampliação das alas para a Covid-19 no Hospital do Juruá, em Cruzeiro do Sul, a revitalização das enfermarias do Hospital de Campanha dentro do Instituto de Traumatologia e Ortopedia do Acre, o Into-AC, e a compra de insumos, como medicamentos e equipamentos de proteção e médico-hospitalares, fazem parte das despesas de custeio.

Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas