Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Cotidiano

Sem serem vacinadas contra Covid, servidoras idosas seguem trabalhando no Barral y Barral

Redação Folha do Acre

Publicado

on

Uma reportagem publicada pelo site Notícias da Hora revela denúncia de que servidoras idosas, uma com 65 anos e outra com 70 anos, continuam trabalhando na Policlínica Barral y Barral, em Rio Branco, sem terem sido imunizadas contra a Covid-19.

Segundo a reportagem, mesmo fazendo parte do grupo de risco à doença e serem amparadas pelo decreto de calamidade pública por conta da Covid-19 as servidoras idosas ainda não foram imunizadas completamente.

O jornal Folha do Acre publicou ontem reportagem que mostra que funcionários comissionados do governo do Acre estão sendo imunizados antes mesmos que profissionais da saúde que estão na linha de frente do combate ao novo coronavírus.

LEIA MAIS:

Diretor administrativo do Into tomou vacina anticovid antes que alguns médicos e enfermeiros

A denúncia publicada pelo Notícias da Hora confirma o que a secretária-adjunta de Saúde, Paula Mariano, confirmou ontem à Folha do Acre: servidores comissionados que ocupam cargos de direção estão sendo vacinados antes que alguns médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem.

“Tem muitos médicos que ainda não foram imunizados, eu sou uma, mas o Keko trabalha no Into como diretor adminstrativo”, disse Paula.

O jornalista Willamis França esteve no Barral y Barral para apurar a denúncia e ouvir da diretora da unidade, Tainã Lima, o motivo das servidoras idosas ainda não terem sido vacinadas. A diretora se negou a falar com o jornalista.

O jornalista recebeu a informação que apenas uma das idosas recebeu uma das doses da vacina anticovid, o que não a torna imune para o novo coronavírus. Ainda é preciso ser administrada a segunda dose. A segunda servidora ainda não recebeu nem a primeira dose.

Confira vídeo gravado por Willamis França e publicado pelo Notícias da Hora:

Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas