Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Polícia

Homem desaparece no Rio Acre ao mergulhar para desprender embarcação de galhos de árvores

Redação Folha do Acre

Publicado

on

Raimundo Nonato Alves Pamplona, de 54 anos, estava com um grupo de amigos em um barco a caminho do Seringal Andirá para comemorar o aniversário de São Sebastião, realizado de 18 e 20 de janeiro, na zona rural de Porto Acre. Autônomo tirou foto durante a viagem e postou em um grupo de amigos no WhatsApp.

O autônomo Raimundo Nonato Alves Pamplona, de 54 anos, está desaparecido desde a manhã de segunda-feira (18) quando mergulhou no Rio Acre para tentar desprender a embarcação em que estava. O barco ficou preso em galhos de árvores quando seguia para o Seringal Novo Andirá, zona rural de Porto Acre, no interior do estado.

Pamplona estava no barco com um grupo de mais de 15 pessoas. Eles participariam da festa de São Sebastião, que ocorre anualmente no seringal entre os dias 18 e 20 de janeiro.

A caminho da festividade, galhos de árvores dentro do rio se enrolaram no leme e o barco ficou preso. O autônomo, então, mergulhou para retirar os galhos e soltar a embarcação, mas teria se afogado.

Ao G1, o irmão de Pamplona, Jean Alves, explicou que o autônomo participa da festividade anualmente. O barco saiu do bairro Base, em Rio Branco, em direção ao interior, como faz todo ano. Segundo ele, o irmão estava embriagado quando iniciou a viagem.

“Chegando entre o Panorama e o Quixadá, a quilha do motor enganchou em uns paus e o leme não funcionava. Ele bêbado, foi descer para tirar os paus e se afogou. Ninguém o viu. A família quer uma resposta, falei tudo para a polícia. É um grupo antigo do [Seringal] Andirá, que é um local muito famoso”, lamentou.G1

Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas