Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Opinião

Entre o negacionismo de Bocalom e o exibicionismo de Gladson: apenas 4,5% da população será imunizada neste 1º momento

Coluna da Gina

Publicado

on

Dias difíceis

Vivemos dias difíceis. Uma doença mortal ronda a vida de todos e leva pânico à população. Paralelo a isso vemos brigas políticas infundadas e negacionistas se exibindo como se estivessem na idade média.

Tião Bocalom, um negacionista

O presidente Bolsonaro fez discípulos nas terras de Galvez e entre eles está o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom. Bocalom é um negacionista e trata a Covid como uma gripe que todos irão pegar, simplificando o fato de que centenas de pessoas tenham descido à sepultura por conta da doença.

A famigerada declaração de Frank Lima

A declaração do secretário de Saúde de Bocalom, Frank Lima, dizendo que quem não pegou Covid irá pegar nada mais é do que resquícios do discurso do próprio Bocalom que minimiza a doença e já fala até em retomar as aulas do ensino fundamental em fevereiro.

Volta às aulas

O negacionista Bocalom fala em retorno às aulas no momento mais turbulento que o Acre enfrenta com relação à Covid e indica que está vivendo em um mundo à parte.

Expectativas exageradas

Por outro lado temos um festivo Gladson Cameli, governador do Acre, entusiasta da vacina e fazendo um excelente papel, porém correndo o risco de resvalar para o exibicionismo irresponsável de expectativas exageradas.

Pouca vacina para muito carnaval

Fala-se na chegada da vacina como se fosse a redenção final, mas esquecem de deixar claro para a população que as doses, que por enquanto estão disponíveis, só é suficiente para imunizar 4,5% da população acreana.

Prefeito de Epitaciolândia

O prefeito de Epitaciolândia, delegado Sérgio Lopes, começou a choradeira interminável de que o município está quebrado e que herdou dívidas. Ora essa, parece que estas pessoas que se candidatam a cargos eletivos sequer conhecem as cidades que pretendem administrar.

Sem choradeira, prefeito!

Não há surpresa nisso. É de conhecimento geral que as cidades estão quebradas financeiramente, mas agora que se elegeu a única coisa que o delegado Sérgio Lopes pode fazer é assumir este ônus e trabalhar pelo melhor de Epitaciolândia.

Deputados à vontade

Enquanto todos os olhos se voltam para a pandemia e o desespero toma conta da sociedade, boa parte do deputados estaduais e federais seguem fazendo farra com dinheiro público. Longe das fiscalizações costumeiras eles estão muito à vontade.

Bom dia a todos

Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas