Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Geral

MPF questiona governo Gladson pela desativação de radares de trânsito no Acre

Redação Folha do Acre

Publicado

on

Órgãos têm 30 dias para justificar ausência de equipamentos de controle de velocidade

O Ministério Público Federal (MPF) instaurou procedimento administrativo para apurar as razões para o não funcionamento dos radares de fiscalização eletrônica de trânsito no estado do Acre.

Segundo o procurador da República Lucas Costa Almeida Dias, responsável pelo procedimento, a Constituição Federal assegura não somente a inviolabilidade do direito à vida, mas prevê expressamente a segurança viária como direito de todos e dever do Estado, e pressupõe o devido exercício da fiscalização de trânsito.

Como medida inicial da apuração foram enviados ofícios à superintendência da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no Acre, ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e à Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (RBTrans).

À PRF foi pedido que informe, no prazo de 30 dias, sobre os planos para a instalação e operação dos radares de fiscalização eletrônica nas rodovias federais do Estado do Acre.

O Detran deverá, também em 30 dias, explicar quais foram os fundamentos técnicos que justificaram o desligamento dos radares no Estado do Acre.

A RBTrans também tem 30 dias para informar qual o cronograma previsto para o funcionamento ativo e regular dos radares na capital do Estado.

Após a coleta das informações, o procurador responsável pelo caso estudará os próximos passos do procedimento e as medidas cabíveis para a solução do caso.

Ascom MPF

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas