Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Geral

Quase 57% dos domicílios acreanos possui morador que recebeu auxílio emergencial

Kenedi Rodigues

Publicado

on

O número de domicílios que tem ao menos um morador recebendo auxílio emergencial caiu pelo 3º mês seguido no Acre, conforme oscilação percebida desde o começo da pandemia no gráfico produzido pelo ac24horas usando dados da PNADCovid, pesquisa divulgada nesta quarta-feira (23) pelo IBGE.

Em setembro, 60,1% dos domicílios acreanos tinham alguém recebendo o auxílio do governo federal. Esse número caiu para 59,6% em outubro e chegou a 56,9% em novembro.

Ainda assim, o Acre ocupa a sexta posição no ranking dos Estados onde há mais pessoas recebendo o auxílio. Em dezembro, os beneficiados recebem a última parcela do seguro implantado para reduzir os impactos negativos da Covid-19 na economia.

Pelo gráfico do ac24horas setembro foi o melhor momento do Estado em número de beneficiários -141 mil lares atendidos.

A proporção de domicílios que recebeu algum auxílio relacionado à pandemia, no Brasil, passou de 42,2% em outubro para 41,0% em novembro, com valor médio do benefício em R$ 558 por domicílio.

De acordo com o IBGE, Norte e Nordeste foram novamente as regiões com os maiores percentuais de domicílios recebendo auxílio: 57,0% e 55,3%, respectivamente. Entre os auxílios estão o Auxílio Emergencial e a complementação do Governo pelo Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda. O rendimento médio real domiciliar per capita efetivamente recebido, no Brasil, em novembro, foi de R$ 1.298,00 ou 1,8% abaixo de outubro em termos reais (R$ 1.321,00). As regiões Norte e Nordeste apresentaram os menores valores, R$ 864 e R$ 865, respectivamente.

Ao todo, 19 unidades da federação tiveram queda no percentual de domicílios onde um dos moradores recebe auxílio emergencial entre outubro e novembro. Os demais oito estados ficaram estáveis.

Os maiores índices são do Amapá (70,1%), Pará (61,1%), Maranhão (60,2%), Alagoas (58,4%) e Piauí (57,5%). Os estados com as menores proporções são Santa Catarina (22,0%), Rio Grande do Sul (27,0%) e Distrito Federal (28,9%).

 

AC 24 HORAS

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas