Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Cotidiano

Acidentes com pipa na rede elétrica crescem 740% durante quarentena no Acre

Redação Folha do Acre

Publicado

on

Soltar pipa é uma brincadeira que atravessa gerações. É um dos passatempos preferidos das crianças e dos adultos, sendo mais praticada, principalmente agora que estão passando mais tempo em casa. Porém, é necessário tomar certos cuidados, tanto para não ficar exposto ao risco de acidentes com energia elétrica, como não comprometer o fornecimento de energia.

Entre janeiro e abril deste ano, houve um aumento de 740% no número de ocorrências de pipa na rede elétrica na área de concessão da Energisa Acre, em comparação a 2019. No mesmo período do ano passado, foram registradas 15 ocorrências, enquanto em 2020 essa quantidade subiu para 111.

Em relação ao número de clientes atingidos por algum tipo de interrupção no fornecimento de energia ocasionada por pipas na rede, no período em questão, o aumento foi ainda maior. O quantitativo subiu de 11.710 mil em 2019 para 32.332 mil em 2020.

Rio Branco é a cidade que registra o maior número de ocorrências, com 92 casos do total. Cruzeiro do Sul é a segunda, com 9 casos. É comum as pipas ficarem presas na rede elétrica, por isso, é importante brincar em campos abertos e longe da fiação.

Além disso, não tentar remover a pipa que tenha ficado enroscada na rede elétrica e nem utilizar materiais cortantes, como linha chilena e o cerol, pois pode prejudicar a fiação elétrica, causando interrupção do fornecimento de energia.

O diretor técnico e comercial da Energisa Acre, Ricardo Xavier, explica que a linha chilena é mais perigosa por ser transmissora de corrente elétrica, já que sua composição é óxido de alumínio. “Este tipo de linha pode causar tanto a interrupção do fornecimento de energia, por romper os fios, como ao cair por estar energizada e provocar graves acidentes”, conclui.

O aumento das ocorrências é confirmado pelo Corpo de Bombeiro do Acre, que aponta uma alta de 50% dos acidentes com linha de cerol e/ou linha chilena, que possui quatro vezes mais poder de corte, deixam sequelas permanentes. E 25% vão a óbito.

A corporação faz um alerta sobre a utilização de linha chilena que é ainda mais perigosa, já que em sua composição o óxido de alumínio é transmissor de corrente elétrica. Com isso, essa linha tem o poder fazer corte na fiação elétrica.

Caso verifique pipas ou outros objetos presos na rede elétrica, entre em contato com a Energisa Acre por meio dos canais de atendimento, 0800 647 7196 e WhatsApp Gisa 68.99233-0341, informe o endereço e o ponto de referência.

Preocupada com a segurança da população, a Energisa Acre preparou algumas orientações importantes:

– Jamais solte pipa próximo à rede elétrica;

– Não utilize materiais cortantes, como a linha chilena e o cerol;

– Nunca tente remover a pipa que tenha ficado enroscada na rede elétrica. Apenas os profissionais autorizados pela Energisa, munidos de todos os itens de segurança e treinamentos necessários, podem fazer a retirada de objetos presos a rede elétrica;

– Não solte pipa próximo a ruas e avenidas. A linha pode ser perigosa para os condutores, causando, principalmente, acidentes;

– Alerte outras pessoas sobre o risco de soltar pipas sem os devidos cuidados. A conscientização é fundamental para reduzir transtornos e acidentes;

– Ao verificar pipas presas à rede elétrica, entre em contato com a Energisa por meio dos canais de atendimento.

Ac24horas

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas