Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Saúde

A Rússia afirma ter vencido a corrida pela vacina da Covid-19; você tomaria?

Redação Folha do Acre

Publicado

on

Você confiaria em uma vacina se Vladimir Putin dissesse que ela é segura?

Próxima pergunta: Donald Trump confiaria em uma vacina se Putin dissesse que ela é segura?

Não se trata da corrida espacial; é uma pandemia mundial. Mesmo assim, Putin está tentando colher os louros da vitória aqui.

Enquanto a comunidade médica dos Estados Unidos despeja água fria nas sugestões de Trump de que uma vacina poderia estar pronta até dia da eleição à presidência dos EUA, em novembro, Putin apenas tirou um coelho da cartola e o chamou de Sputnik, em homenagem à missão do satélite soviético que assombrou o mundo em 1957.

Nunca subestime a disposição de pessoas poderosas de se envolver em alguma propaganda geopolítica. É por isso que Putin enviou EPIs (equipamentos de proteção individual) para Nova York há alguns meses, embora o vírus tivesse se espalhado em seu próprio país.

A Rússia relatou muito poucos casos de Covid-19 antes que se tornasse impossível negar o surto. É o país onde os médicos que criticam a resposta do governo à pandemia caem misteriosamente de janelas.

Questões de transparência

Você confiaria em uma vacina russa mais do que em um resultado das eleições russas? O tipo de fraude eleitoral que Trump frequentemente alega que acontece nos Estados Unidos (sem apresentar provas), de fato ocorre na Rússia, de acordo com organizações que vigiam a democracia.

Putin e seus interesses são rotineiramente apoiados por inacreditáveis três quartos dos eleitores. Três quartos dos norte-americanos não têm o mesmo ponto de vista sobre quase nada.

Nenhum presidente norte-americano obteve muito mais do que 60% do voto popular, nas eleições onde isso foi possível de ser rastreado. Caramba, em nosso sistema esquisito, é rotina dar a Casa Branca para a pessoa que obteve menos votos. E todo mundo concorda com isso.

Trump gosta de brincar sobre continuar servindo como presidente por muito tempo no futuro, mas para fazer isso ele teria que mudar a Constituição dos Estados Unidos, o que parece completamente impossível. Não para Putin. Os eleitores o ajudaram a mudar a constituição da Rússia no mês passado.

Durante seu mandato, Trump demonstrou grande respeito por Putin. Trump trata com desdém a avaliação da comunidade de inteligência dos EUA de que a Rússia tentou ajudar sua campanha em 2016 (e está fazendo o mesmo para sua vitória em 2020). A Casa Branca também gosta de dizer que ele tem sido duro com a Rússia, embora haja ampla evidência da disposição de Trump em deixar Putin bancar o macho alfa.

Um exemplo, entre muitos, é seu interesse contínuo em trazer Putin de volta ao grupo de liderança das democracias industriais. O G7 – que costumava ser o G8 – expulsou a Rússia depois que Putin invadiu a Crimeia, que fazia parte da Ucrânia, em 2014.

Sabe o que mais a comunidade de inteligência dos EUA diz que a Rússia está fazendo? No mês passado, a NSA (Agência Nacional de Segurança), junto com agências de inteligência de países europeus, afirmou que russos estavam tentando roubar a pesquisa da vacina contra o coronavírus invadindo sistemas de computador.

Na Bielorrússia, país ao lado da Rússia, Putin se estranhou com o presidente, Alexander Lukashenko, no poder há mais de 25 anos, que prendeu mercenários russos algumas semanas atrás. Segundo Lukashenko, eles estavam tentando desestabilizar o país na véspera de sua eleição. Lukashenko venceu, recebeu os parabéns de Putin e está em processo de esmagar os protestos dissidentes.

A disputada corrida à vacina

O anúncio de uma vacina na Rússia, acredite se quiser, deve irritar Donald Trump. Na semana passada, Trump disse, contrariando as evidências da medicina ocidental, que poderia haver uma vacina até o dia da eleição.

“Acredito que teremos a vacina antes do final do ano, com certeza, mas por volta dessa data, sim. Acho que sim”, afirmou Trump na quinta-feira passada (6).

A linha do tempo real (tomara). Mas especialistas médicos de verdade disseram que o cronograma alardeado por Trump é impossível.

“Não tem jeito. Simplesmente não tem como”, afirmou o doutor Peter Hotez, especialista em vacinas do Baylor College of Medicine e analista médico da CNN. Mesmo que tudo corra exatamente de acordo com o planejado, o desenvolvimento da vacina se daria perto do Dia da Posse. Ou seja, até o final de janeiro.

Como a Rússia fez isso tão rápido? Aqui está uma frase-chave da reportagem da CNN sobre o anúncio da vacina por Putin.

“Os críticos dizem que o esforço do país por uma vacina se deve em parte à pressão política do Kremlin, que deseja retratar a Rússia como uma força científica global”.

Tem mais: a Rússia não divulgou dados científicos sobre seus testes e a CNN não foi capaz de verificar a alegada segurança ou eficácia da vacina. O New York Times noticiou que a vacina russa não completou os testes.

Apesar disso, as autoridades russas disseram à CNN que pelo menos 20 países e algumas empresas dos EUA manifestaram interesse na vacina.

Não use atalhos. Se você está interessado em saber por que é tão importante fazer testes exaustivos para o desenvolvimento de vacinas, é porque, nesse caso, bilhões de pessoas precisarão tomar a vacina. E observe que a China também começou a testar uma vacina em membros de suas forças armadas. Leia no site do CDC sobre problemas históricos de vacinas (em inglês).

Em desenvolvimento. Atualmente, há 25 vacinas em testes clínicos e mais de 100 em desenvolvimento, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Espera-se que as mais seguras delas possam alcançar bilhões de pessoas em todo o mundo e nos trazer de volta ao normal.

As pessoas em sociedades abertas precisam confiar que a vacina não as prejudicará. Elas precisam confiar que suas eleições são válidas. Elas precisam confiar que o governo trabalha pelos melhores interesses dos cidadãos – se não, podem participar do processo e colocar outra pessoa no poder.

CNN

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas