Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Polícia

Uber é indiciado por homicídio culposo após perseguir motoboy morto em acidente na capital

Redação Folha do Acre

Publicado

on

Segundo a polícia, a vítima foi perseguida pelo motorista de aplicativo após ter colidido de forma leve no veículo

A Polícia Civil acreana, por meio de investigadores da 1ª Regional de Polícia (Baixada), elucidou mais uma morte ocorrida em Rio Branco, a do motoboy identificado como Denilson da Silva Cunha ocorrida no ultimo dia 11, quando o entregador ultrapassou sinal vermelho e invadiu a preferencial no cruzamento da Rua Pernambuco com a Avenida Nações Unidas, um dos mais movimentados de Rio Branco.  

Após intensa investigação o suspeito por ter provocado o acidente que vitimou o motoboy foi identificado e na segunda-feira, 27, foi conduzido a sede da regional para prestar depoimento do delegado Alex Danny, responsável pelo caso.

De acordo com as investigações, passava das 21h quando Denilson da Silva ultrapassou o sinal vermelho e invadiu a preferencial do cruzamento colidindo com um veículo de passeio, modelo HB20. O jovem chegou a ser socorrido e encaminhado ao Pronto Socorro de Rio Branco, mas não resistiu aos ferimentos e morreu horas depois.

As informações de que o entregador estava sendo perseguido por outro veículo no momento do acidente levou os investigadores a realizar uma vasta pesquisa de coleta de imagens de videomonitoramento na região. Foram coletadas mais de 20 horas de imagens que foram checadas de forma minuciosa até ser possível identificar o veículo que perseguia o motoboy e consequentemente, identificar o seu condutor.

Durante as investigações, que durou exatos 13 dias, diversas testemunhas do caso foram ouvidas.

“Na sexta-feira, 24, após 13 dias de intensas investigações, conseguimos identificar o condutor do veículo que perseguiu a vítima até que esse avançasse o sinal vermelho e colidisse com outro veículo. Identificamos ainda que o motivo para a perseguição foi o fato do motoboy ter colidido de forma leve no veículo Argo de cor preta, conduzido pelo suspeito da perseguição”, comentou o delegado Alex Danny.

A caso tomou grande repercussão nas redes sociais e causou comoção chegando a ser realizada uma manifestação pacifica pelos colegas de profissão da vítima.

“Em exatos 13 dias conseguimos elucidar um caso complexo que precisou de grande dedicação e intensa análise de todo o material coletado. Foram mais de 20 horas de imagens de videomonitoramento, de vários pontos, que foram incansavelmente analisados por nosso investigadores, depoimentos de testemunhas e outros materiais comprobatórios coletados durante as investigações que possibilitou a identificar o condutor do veículo suspeito de ter provocado o acidente, que foi ouvido nesta segunda-feira pelo delegado responsável pelo caso. Parabéns aos investigadores que trabalharam diuturnamente para a elucidação de mais esse caso”, enfatizou o delegado-geral da Polícia Civil, Josemar Portes.

Agora o inquérito policial será concluído com o indiciamento do motorista pelo crime de  homicídio culposo, quando não há intenção de matar e, será remetido ao Ministério Público para as medidas legais.

Ascom PC

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas