quinta-feira, outubro 21, 2021
33.3 C
Rio Branco
quinta-feira 21 outubro 2021

Familiares de internados no PS com Covid tentam impedir transferências para hospital de campanha

POR

Pronto-socorro não vai mais atender pacientes com Covid-19, segundo direção. Familiares temem que eles corram riscos durante transferência da unidade.

Familiares de pacientes que estão internados em Unidades de Terapia Intensivas (UTIs) do pronto-socorro de Rio Branco com diagnóstico de Covid-19 tentaram impedir a transferência deles para o Instituto de Traumatologia e Ortopedia (Into).

Após mais de 30 dias em obras, o primeiro hospital de campanha do Acre começou a atender os pacientes com Covid-19. Instalado no Into, a unidade é a terceira de referência no atendimento da doença no estado e começou a receber pacientes na quinta-feira (7).

Em entrevista à Rede Amazônica Acre, o autônomo Jean Faria, que acompanha a mãe de 70 anos, internada no PS desde o dia 22 de abril com Covid-19, disse que recebeu a notícia, neste sábado (16), que ela seria transferida para uma UTI do hospital de campanha. A idosa está há 10 dias entubada na UTI do pronto-socorro da capital.

A mesma informação foi repassada para os familiares de todos os pacientes que estão internados na UTI Covid-19 do PS. O G1 tentou contato com o diretor da unidade, Aresk Peniche, neste domingo (17), para saber se todos os pacientes já tinham sido transferidos, mas não obteve resposta até última atualização desta reportagem.

“O próprio diretor falou para mim que até 19h [de sábado] não vai ficar mais nenhum paciente, porque não tem mais nenhuma equipe médica para ficar aqui. Olha a forma como o cara se expressou para passar a notícia. Minha mãe que está lá”, disse.

O último boletim da Secretaria de Saúde do Estado (Sesacre) aponta que dos 10 leitos de UTI do pronto-socorro para pacientes com Covid-19, oito estão ocupados. E foram os familiares desses oito pacientes que tentaram impedir a transferência deles do PS para o Into.

“A própria equipe médica ali é contrária a isso. A gente sabe que essa transferência daqui para lá é de risco. Se o profissional chega ao ponto de não querer que faça, que não é aconselhável, imagina a gente como que fica aqui”, falou emocionado o autônomo.

Enquanto a equipe da Rede Amazônica Acre gravava a reportagem no pronto-socorro, o primeiro paciente foi transferido.

O diretor da unidade, Aresk Peniche, conversou com os familiares, que exigiram garantias de que a transferência ocorreria sem riscos. Depois da reunião, a ambulância que aguardava para levar outro paciente, saiu do hospital vazia.

O diretor do PS confirmou a determinação das transferências. Segundo ele, o pronto-socorro de Rio Branco vai deixar de atender pacientes com Covid 19.

“A transferência dos pacientes somente se dará com autorização do médico assistente e se o paciente estiver hemodinamicamente estável. Não vai ser retirado nenhum paciente do pronto-socorro sem os devidos cuidados. O PS volta a ser a referência para o atendimento aos traumas, aos pacientes com problemas clínicos, tais como infarto, derrames, diabete alta e outros problemas de saúde que não estejam vinculados a Covid-19 ou qualquer síndrome respiratória”, afirmou o diretor.

Questionada sobre a capacidade de receber esses pacientes, a direção do Into informou que uma nova ala ficou pronta com mais 12 vagas. Agora o instituto tem 23 leitos de UTI, sendo que 13 já estão ocupados.

G1

COLUNISTAS

128 POSTS0 COMENTÁRIOS
38 POSTS0 COMENTÁRIOS
4 POSTS0 COMENTÁRIOS
2 POSTS0 COMENTÁRIOS
- Advertisement -spot_img