Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Cruzeiro do Sul

Famílias começam a ser retiradas de casa por causa de enchentes no Acre

Redação Folha do Acre

Publicado

on

Rios Moa e Azul invadiram casas em comunidades rurais de Cruzeiro do Sul e Mâncio Lima. Defesa Civil ainda não sabe quantas famílias devem ser retiradas.

As enchentes dos rios Moa e Azul, na região do Vale do Juruá, no interior do Acre, fez com que a Defesa Civil Municipal iniciasse o trabalho de remoção de famílias nesta terça-feira (31). Os mananciais invadiram casas em comunidades rurais das cidades de Cruzeiro do Sul e Mâncio Lima.

O coordenador da Defesa Civil de Cruzeiro do Sul, José Lima, informou que ainda não se tem um número exato de famílias desabrigadas ou desalojadas, porque as equipes ainda estão nas comunidades, que ficam distante da cidade.

“A gente está fazendo remoção de algumas famílias da comunidade rural Nari do Moa, de Cruzeiro do Sul. Ainda não sei quantas famílias e não sei para onde estão sendo levadas, acredito que seja para o Aluguel Social. Só vou ter essas informações quando a equipe chegar de lá”, afirmou o coordenador.

O prefeito de Mâncio Lima, Isaac Lima, afirmou que equipes da Defesa Civil e também da Secretaria de Assistência Social do município estão nas comunidades fazendo levantamento das famílias atingidas. A prefeitura fez a doação de 200 sacolões e também de produtos de limpeza.

“Soube que o rio apresentou uma vazante, mas só vou ter esses dados concretos de famílias atingidas quando as equipes retornarem de lá, já que são áreas isoladas. As que precisaram ser removidas, foram remanejadas para casas de parentes ou outros locais lá nas comunidades mesmo”, disse o prefeito.

Rio Juruá acima da cota de alerta

O Rio Juruá, em Cruzeiro do Sul, segue acima da cota de alerta, que é de 11, 80 metros. Segundo dados da Defesa Civil Municipal, nesta terça-feira (31), manancial marcou 12,42 metros e atinge 5 mil famílias que moram em áreas ribeirinhas.

“Continuamos com os oito bairros atingidos pela cheia em Cruzeiro do Sul. De segunda [30] para cá, o rio teve uma redução pequena no nível, apenas de 18 centímetros, mas em Porto Walter, que vem para cá, teve uma subida de mais de 2,5 metros em 24 horas. Então, a gente acredita que quarta [1º] o rio volte a encher em Cruzeiro do Sul. Além da situação do Rio Moa, que também deságua aqui”, explicou Lima.

Lagoa, Boca do Moa e parte do Miritizal são alguns dos bairros mais afetados com a subida das águas na segunda maior cidade do Acre.

Situação de emergência

A cidade de Mâncio Lima chegou a decretar situação de emergência na última sexta (27) devido à enchente dos rios Azul e Moa e igarapés. Em reportagem publicada na sexta, a Defesa Civil Municipal informou que mais de três mil ribeirinhos e indígenas foram afetados pelas enchentes.

Conforme o órgão, essas pessoas totalizam de 400 a 500 famílias afetadas. Toda a população ribeirinha foi afetada e há morador que perdeu a produção de alimentos.

“São moradores da zona rural dos rios Azul e Moa. Esses são os dois rios maiores, mas temos o Igarapé Samaúma, que tem 50 famílias, o Novo Recreio, que temos mais 40 famílias, o São Pedro com mais 40 famílias. Temos as aldeias com mais de 100 famílias, o Rio Azul com 147 famílias. São vários”, explicou o coordenador da Defesa Civil da cidade, Jean Almeida.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas