Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Polícia

Adufac acusa PMs de abuso e repudia abordagens vexatórias contra alunos da Ufac

Redação Folha do Acre

Publicado

on

Após um polêmico vídeo onde policiais militares aparecem abordando e prendendo usuários de maconha dentro do campus da Ufac em Rio Branco, a Associação dos Docentes e das Docentes da UFAC (ADUFAC) emitiu nota repudiando a atuação de alguns policiais militares durante abordagens dentro da universidade federal.

“A Adufac repudia a forma como alguns agentes da Polícia Militar do Acre têm atuado dentro do campus da Universidade Federal do Acre em Rio Branco, abusando da autorização que lhes foi concedida pela Reitoria para que possam operar dentro dos limites do campus”, diz trecho da nota.

A nota diz ainda que “os policias abordam estudantes usando como desculpa a intenção de coibir o uso de entorpecentes dentro do campus, tem abordado cidadãs e cidadãos que transitam ou permanecem nas dependências da unidade de ensino. Pior ainda, eles têm permitido que um produtor de vídeos sensacionalistas os acompanhe e filme as abordagens, expondo as pessoas a situações absurdamente vexatórias”.

Confira a nota na íntegra:

NOTA DE REPÚDIO

A Associação dos Docentes e das Docentes da UFAC (ADUFAC) repudia a forma como alguns agentes da Polícia Militar do Acre (que esperamos que sejam uma minoria que não conte com o apoio da Corporação) têm atuado dentro do campus da Universidade Federal do Acre em Rio Branco, abusando da autorização que lhes foi concedida pela Reitoria para que possam operar dentro dos limites do campus.

Ao invés de cumprir o seu dever e zelar pela segurança da comunidade universitária, esse policiais, usando como desculpa a intenção de coibir o uso de entorpecentes dentro do campus, tem abordado cidadãs e cidadãos que transitam ou permanecem nas dependências da unidade de ensino. Pior ainda, eles têm permitido que um produtor de vídeos sensacionalistas os acompanhe e filme as abordagens, expondo as pessoas a situações absurdamente vexatórias. Nos vídeos, alguns já com milhares de acesso na plataforma YouTube, é possível constatar que o único critério adotado para efetuar ou não as referidas abordagens é o preconceito dos próprios policiais filmados (“vê se esse aí tem cara de maconheiro”, é possível ouvir em um dos vídeos).

Sabemos que esse tipo de atuação, além de subverter a ação republicana e técnica a que deveria se limitar a autoridade policial, contribui para fazer as autoridades policiais cair em descrédito perante a população. Afinal, para as pessoas que sofrem com casos de assalto e de violência nos arredores do campus, esse tipo de atuação configura-se apenas como perda de tempo e mal uso de pessoal e de equipamentos que deveriam servir para garantir a segurança da população, e não para fazer espetáculos sensacionalistas.

Além disso, alguns desses vídeos divulgam mentiras como: “o consumo de drogas na UFAC deveria estar no Guiness Book”. A divulgação de absurdos como esse só podem servir à difamação irresponsável da maior e mais importante instituição de ensino superior de nosso Estado, e não condiz em nada com uma percepção técnica e baseada em fatos que deveria estar guiando as políticas de segurança pública.

Um telejornal regional criticou de maneira sensata e responsável a divulgação desses vídeos, mas sofreu como represália ataques de baixo calão em meios digitais. A ADUFAC aproveita a oportunidade para defender a liberdade de expressão, sobretudo quando o que está em debate é a melhoria da qualidade dos serviços públicos de Segurança.

Diante de tamanho desrespeito, que atinge a honra e o trabalho de milhares de servidores, funcionários terceirizados e alunos, só nos resta pedir para que o Comando da Polícia Militar do Acre (PM-AC) interpele os responsáveis e os conduza à seriedade e à diligência que cabe esperar das pessoas responsáveis por cuidar da segurança pública de nossa cidade.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas