Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Cruzeiro do Sul

Quatro pessoas morrem por complicações de dengue em Cruzeiro do Sul nos últimos 3 meses

Redação Folha do Acre

Publicado

on

Dois casos foram registrados em novembro de 2019 e outros dois em janeiro deste ano. A morte de uma idosa de 90 anos segue sob investigação

O município de Cruzeiro do Sul registrou quatro mortes por dengue grave no período de três meses. A informação foi confirmada ao G1, nesta quinta-feira (12), pela Vigilância Entomológica da cidade. Um caso segue sob investigação.

A cidade enfrenta um surto da doença desde o final do ano passado. Segundo a coordenadora da Vigilância, Muana Araújo, somente este ano, foram registrados mais de 3,3 mil casos suspeitos de dengue, sendo que 1.606 foram confirmados até esta quinta.

“Vale ressaltar que esse é o aglomerado do ano, mas, quando a gente faz o comparativo com as semanas, por exemplo, fechamos a última semana com 29 casos confirmados. Então, é um alto número, mas eles se apresentaram nas primeiras semanas do ano, ainda vindo como no final de 2019 e agora a gente entra em um momento satisfatório”, disse a coordenadora.

Este ano, a primeira morte registrada foi de uma adolescente de 16 anos no último dia 2 de janeiro. Ela morreu na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital do Juruá por complicações da doença.

A adolescente chegou a dar entrada duas vezes na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade, mas teve alta. Em seguida, ao chegar no Hospital do Juruá, foi encaminhada direto para a UTI em estado grave.

O outro caso foi de uma criança de uma criança de 11 anos, no último dia 26 de janeiro. Na época, o médico que atendeu a menina, Rondney Brito disse ao G1 que a criança já deu entrada na unidade com estado grave. Segundo ele, em pouco mais de quatro horas o quadro piorou e ela não resistiu.

A morte que segue sob investigação é da idosa Zila Barreto de Lima Cordeiro, de 90 anos. Ela deu entrada no Hospital do Juruá no dia 10 de janeiro com dengue e após complicações acabou não resistindo e morreu no dia 11.

No mês de novembro do ano passado foram registradas outras duas mortes por complicações da doença.

No dia 6 de novembro, a comerciante Neiva Nascimento, de 42 anos, morreu no mesmo hospital. De acordo com a Saúde do município, o exame de sorologia confirmou que ela morreu por dengue grave.

A segunda morte foi pouco tempo depois, no dia 28 de novembro. A vítima foi uma mulher de 46 anos, que não teve o nome o revelado pela Saúde.

G1

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas