Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Acrelândia

“Inauguração da delegacia de Acrelândia foi uma farsa: policiais continuam trabalhando em situação precária”, diz jornal

Anderson Bodanese

Publicado

on

O jornal Acrelandianews, com sede na cidade de Acrelândia, a 116 quilômetros de Rio Branco, denunciou na segunda-feira (27) que a inauguração do Centro Integrado de Segurança Pública do município, onde funciona a delegacia, não passou de uma “farsa” da Secretária de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp).

Segundo a reportagem, após o prédio ter sido interdidatado pela Justiça por falta de condições estruturais e de trabalho para os policiais militares e civis, a Sejusp resolveu então reformar o prédio, mas o entregou maquiado e com os mesmos problemas denunciados ao Ministério Público.

“No final de dezembro, a delegacia onde funciona o Centro Integrado de Segurança Pública de Acrelândia foi, segundo o governo, reformado e inaugurado. Ocorreu até um ato de entrega do prédio onde estiveram presentes o vice-governador, secretário de segurança pública e os altos patentes da polícia militar. Para a sociedade o governo vendeu uma notícia que, na verdade, não condiz com a realidade dos fatos”, diz trecho da reportagem.

O jornal afirmou que sua reportagem esteve no novo prédio e constatou que a “inauguração foi uma farsa por parte do poder público”.

“Os policiais continuam trabalhando em situação precária de logística, falta papel, as salas estão vazias, não tem material de escritório, o local não tem internet, falta até material higiênico, os ar-condicionados não funcionam. Segundo um agente, a delegacia conta apenas com um computador e uma impressora velha, os serviços oferecido por enquanto pela polícia é apenas flagrantes e lei Maria da Penha, todos demais ainda estão sendo encaminhado para Plácido de Castro”, diz a reportagem.

A reportagem da Folha do Acre ouviu um policial que atua na cidade de Acrelândia que confirmou as denúncias e denunciou ainda que os agentes de segurança que atuam naquela cidade correm risco de morte devido a péssima qualidade da estrada que liga Acrelândia até Plácido de Castro.

“A situação dos policias está ainda mais complicada, pois em toda prisão, os presos são apresentados à delegacia de Plácido de Castro, resultando em condições, às vezes, de madrugada por uma estrada em péssima situação de tráfego. Quando isso ocorre, a cidade fica desguarnecida por 3 ou 4 horas”, diz o milita que não quis se identificar.

Segundo informações do policial, os presos continuam sendo transferidos para Plácido de Castro, já que as celas não têm cadeados. Os policiais militares continuam trabalhando em um prédio cedido pela prefeitura, já que no novo prédio da delegacia a situação é caótica.

MPE visita novo prédio

Na tarde de segunda-feira, o promotor de Justiça de Acrelândia, Júlio César de Medeiros, fez uma inspeção na delegacia.

A promotoria irá se manifestar sobre a situação e não descarta um novo pedido para intervenção do prédio, pois segundo ele, desde a reinauguração o Centro Integrado de Segurança Pública não está funcionando como deveria.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas