Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Cotidiano

Papudinha é fechada sem consulta a órgãos do sistema de Justiça e promotor dispara: “Preocupante”

Anderson Bodanese

Publicado

on

A Unidade Prisional (UP4), mais conhecida como “Papudinha”, foi fechada na semana passada pelo Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen). Cerca de 160 presos foram transferidos para o presídio de Senador Guiomard e outros para o presídio Francisco d’Oliveira Conde (FOC).

Porém, segundo nota do Ministério Público Estadual (MP-AC), o Iapen não consultou nenhum órgão do sistema de Justiça, como Tribunal de Justiça do Acre, Defensoria Pública, Promotoria Especializada de Direito Difuso à Segurança Pública, nem o MP.

Para o promotor Tales Tranin, a medida do Iapen é considerada um retrocesso. Assim como os demais órgãos, o MP se manifestou contrário à decisão.

“Essa é uma situação muito preocupante. Uma medida tão séria não poderia ter sido tomada assim de maneira acelerada”.

Ainda de acordo com o promotor, a transferência dos presos de uma unidade para outra vai atrapalhar o processo de ressocialização.

“Com a transferência para o presídio Francisco d’ Oliveira Conde, por exemplo, os detentos terão que se juntar a presos considerados de facções criminosas, o que desfavorece o processo de ressocialização que já estava bem encaminhado”, explicou.

A reportagem tentou falar com o diretor-presidente do Iapen, Lucas Gomes, mas até o fechamento não obteve respostas. Também tentou contato com a Assessoria de comunicação do órgão, que informou que a Secretaria de Comunicação do Estado irá se pronunciar sobre o assunto.

Falta de gestão

O Iapen também é alvo de críticas por parte da Associação dos Policias Penais do Acre (Asspen). A entidade se manifestou com relação à fuga de 26 detentos na noite de segunda-feira, 20.

De acordo com nota emitida pela associação, a direção do Iapen já havia sido avisada sobre os problemas da unidade e a fragilidade da segurança no local.

Os fugitivos são do Pavilhão “L” do chapão, mesmo local onde ocorreu um culto noturno, autorizado pela direção.

“Essa liberação é coisa que jamais aconteceu em outras gestões durante a noite. A direção da Asspen solicita providências necessárias da Secretaria de Segurança Pública e responsabilização daqueles que mau (sic) administram o Iapen”, diz o texto.

A Gazeta do Acre

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas